''O que aconteceu no Corinthians é passado''

Nelsinho Baptista: técnico do Sport; Final da Copa do Brasil vai marcar o reencontro do treinador que esteve no comando do time na queda para a Série B

Entrevista com

Wilson Baldini Jr., O Estadao de S.Paulo

30 de maio de 2008 | 00h00

Nelsinho Baptista vai se reencontrar com o Corinthians nas finais da Copa do Brasil - primeiro jogo quarta-feira, no Morumbi; o segundo, dia 11 , no Recife. O treinador esteve à frente do time do Parque São Jorge em 11 jogos (quatro derrotas, cinco empates e duas vitórias) na desastrosa campanha do ano passado no Campeonato Brasileiro, que levou a equipe para a Série B. ''Não quero nem comentar sobre isso. O que aconteceu no Corinthians faz parte do passado.''O momento atual do treinador, de 57 anos, é totalmente diferente daquele vivido ano passado. Ontem, após eliminar o Vasco na semifinal, nos pênaltis, em São Januário - derrota no tempo normal por 2 a 0 -, Nelsinho não parou de dar entrevistas no hall do Copacabana Plaza Hotel, onde a equipe pernambucana está concentrada para o jogo de amanhã, em Porto Alegre, diante do Inter. ''O importante é viver este momento. Estou feliz por estar fazendo um bom trabalho.''Nelsinho falou pelo telefone ao Estado como levou o Sport à final, eliminando os favoritos Palmeiras, Inter e Vasco. ''Soubemos incorporar o espírito da competição. Chegamos até aqui e vamos lutar muito para o título não escapar.''A estrutura do Sport pode ser comparada com a dos grandes clubes do País?Sim. O Sport não é apenas um time de futebol. É um clube muito bem cuidado, com equipes de vôlei, basquete, hóquei sobre patins e ainda possui uma ampla área social. Além disso, detém, segundo levantamento, 43% dos torcedores do Estado. Tudo isso dá uma condição muito boa para a contratação de reforços a cada fim de campeonato. As categorias de base também são muito bem cuidadas pela diretoria e sempre estão surgindo bons nomes para o profissional.O Sport ganhou fácil o Campeonato Pernambucano e faz grande campanha na Copa do Brasil. Qual o segredo?A diretoria é a grande responsável pelo sucesso do time na atual temporada. A base do ano passado formada pelo Geninho foi mantida e o critério de contratação, do qual fiz parte, foi muito bem elaborado. Todos os jogadores que vieram comigo a partir de 2 de janeiro estão se saindo muito bem até agora.Quais os jogadores você indicou para a diretoria contratar?Sandro Goiano (ex-Grêmio), Daniel Paulista (ex-Corinthians, Roger (ex-São Paulo e Palmeiras), Leandro Machado (ex-Internacional) e Enilton (ex-Palmeiras) são alguns dos jogadores que chegaram.Como foi eliminar favoritos como Palmeiras, Inter e Vasco?Quando a Copa do Brasil começou já sabíamos que poderíamos enfrentar estes adversários. Com isso, fizemos uma reunião após o jogo com o Imperatriz, do Maranhão, nosso primeiro rival (empate fora de casa por 2 a 2 e goleada na Ilha do Retiro por 4 a 1). Soubemos incorporar o espírito da competição. Tenho um grupo experiente, acostumado a decisões e que cresce nos momentos importantes. Chegamos até aqui e vamos lutar muito para o título não escapar.Como será a decisão com o Corinthians?O Mano Menezes está fazendo um novo trabalho e já está conseguindo uma boa campanha tanto na Copa do Brasil como na Série B do Brasileiro. Chegaram à final as duas equipes que fizeram por merecer esta condição. Não vejo favorito para a conquista do título.Você foi o técnico do Corinthians no pior momento do clube, com a queda para a Série B do Campeonato Brasileiro ano passado. Como será este reencontro com o time e a torcida?Não quero nem comentar sobre isso. O que aconteceu no Corinthians faz parte do passado. Não tenho nada contra o Corinthians ou sua torcida. Tive bons momentos lá também (foi campeão brasileiro em 1990) O que fiz na época foi o que pude fazer com o que tinha em mãos. Mas o importante para mim agora é viver este momento. Estou feliz por estar fazendo um bom trabalho.E o seu futuro?Tenho contrato com o Sport até o fim do ano. Vou seguir meu trabalho até o fim.Mas e se surgirem propostas para o segundo semestre?Trabalho em cima de coisas concretas. E o concreto para mim é o Sport. Estamos perto de uma grande conquista e é para isso que estou focado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.