'O Simon foi a última grande referência de árbitro no País'

Se participação internacional é termômetro para a Copa de 2014, Wilson Seneme saiu à frente na briga para substituir Simon. Em 2011, o paulista de 41 anos apitou no Mundial Sub-20, nas quartas da Libertadores e na final da Sul-Americana - outro paulista, Sálvio Spínola, foi o árbitro na final da Copa América, mas anunciou aposentadoria pouco depois.

Entrevista com

O Estado de S.Paulo

24 de dezembro de 2011 | 03h05

Como foi sua temporada?

Foi a melhor da minha carreira até aqui. Pude mostrar meu trabalho em muitos jogos importantes. Em termos profissionais, foi um ano excelente.

Como vê suas chances de

representar do País em 2014?

Não tem como negar, estar entre os três escolhidos pela Fifa mostra isso. É sim, o primeiro passo para ir ao Mundial.

Considera-se candidato a ser o próximo número 1 do País?

Talvez o Simon tenha sido a última grande referência da arbitragem no País. Hoje há divisão maior de responsabilidade, não se joga a carga total sobre um ou dois principais.

Como vê as críticas aos juízes no último Brasileiro?

Aqui no País não se valoriza nada, dizem que o campeonato tem baixo nível, que a arbitragem é fraca... Se for ver, nenhum erro foi decisivo para definir os rebaixados ou times na parte de cima. O campeão foi legítimo, em campo. / B.D.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.