O sonho do título continua vivo

Palmeiras supera a Portuguesa por 4 a 2, chega ao 2.º lugar e diferença para o líder Grêmio cai: é de cinco pontos

Daniel Akstein Batista, O Estadao de S.Paulo

25 de agosto de 2008 | 00h00

Nada melhor do que um bom resultado para acalmar os ânimos da torcida. E nada melhor também do que um tropeço dos adversários. Com a vitória sobre a Portuguesa por 4 a 2, ontem, no Pacaembu - e com a derrota de Cruzeiro e os empates de Grêmio e Botafogo -, o Palmeiras pulou para a 2ª colocação e viu a diferença para o líder Grêmio cair para cinco pontos. O sonho do título segue vivo - e a Lusa continua na zona de rebaixamento. Opine sobre os jogos da rodada Os primeiros 19 minutos foram de dificuldades para o Palmeiras. A goleada sofrida para o Internacional no meio de semana, por 4 a 1, e as pichações nos muros da Academia e do Palestra, contra os zagueiros Jéci e Gladstone, pareciam ainda ecoar no time alviverde. A Lusa começou melhor e tocava a bola com facilidade frente à atrapalhada zaga adversária.O ímpeto lusitano durou pouco. Na primeira vez em que chegou ao ataque, o Palmeiras abriu o placar. Alex Mineiro, de pênalti, marcou aos 21 minutos.Com 1 a 0, o time de Vanderlei Luxemburgo começou a dominar a partida. Deu dó da Portuguesa. Até o começo da segunda etapa, a impressão que se tinha era de que o Palmeiras participava de um treino de luxo. O adversário dava pinta de estar em campo apenas para figuração. Aos 26 minutos, o zagueiro Gustavo anotou o segundo. Ele havia entrado no time no lugar de Fabinho Capixaba, que se machucou no início da partida.A cada ataque palmeirense, chance clara de gol. André Luís via a bola toda hora na sua área. Via e falhava. Quando Kléber apareceu na sua frente, se atrapalhou todo com a bola e a deixou livre para o atacante palmeirense marcar, aos 34.Estava fácil. E o quarto gol não demorou a sair. Leandro avançou pela esquerda e cruzou para o artilheiro Alex Mineiro, sozinho, balançar as redes.O Palmeiras jogava bem. Diego Souza, um dos mais contestados do time, mostrou qualidade e confiança. Uma confiança até exagerada - às vezes é mais fácil simplificar a jogada e tocar logo em vez de tentar marcar um golaço. Mas o ataque tem funcionado bem. O problema continua no setor defensivo. Está difícil encontrar solução.Com os 4 a 0, o Palmeiras poderia ter partido para cima da Lusa na segunda etapa e ampliado. Porém, deu a impressão de já estar satisfeito com o resultado e abriu espaços para o frágil adversário diminuir, com Jonas aos 22 e aos 38 minutos.A vitória deixa o Palmeiras forte na briga pelo título. Mas que ninguém no Palestra se engane: ainda é preciso melhorar para que o lugar mais alto do pódio vire realidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.