O volante do Spartak Moscou tem seu fiel da balança na Copa dos Campeões: os jogos fora

SÃO PAULO - O volante Rômulo, do Spartak Moscou e homem de confiança de Mano Menezes, na seleção, já tem seu fiel da balança na primeira fase da Copa dos Campeões: os jogos fora de casa. Veja a entrevista completa do jogador: 

Raphael Ramos, O Estado de S.Paulo

18 de setembro de 2012 | 03h10

Como enfrentar o favoritismo do Barcelona?

Sem dúvida, na atualidade, é o melhor time do mundo. É tentar não deixar fazer o que os jogadores mais gostam: que é trocar passes. Quando eles começam a ter posse de bola acabam envolvendo o adversário e chegam facilmente ao gol. Um empate na estreia seria um resultado excelente.

O Spartak encara o Benfica como o rival direto pela segunda vaga do grupo?

Se for considerado a tradição, sim. Na verdade não pegamos um grupo dos mais fáceis. Acredito que a segunda vaga está bem aberta entre três equipes. Tudo vai depender dos jogos fora, porque os três times são fortes em casa.

Até que ponto você acredita que o gramado sintético do estádio Olímpico Luzhniki pode ajudar o Spartak?

Bem, os jogadores do Spartak conhecem o gramado melhor do que ninguém. Acho que isso é um ponto a favor, principalmente para os mais antigos. É tentar aproveitar as oportunidades e chutar bastante de fora da área e pressionar na marcação, pois para dominar a bola é preciso de um pouco mais de atenção, se não o jogador acaba escorregando ou não conseguindo dominá-la. Inclusive, na minha primeira partida sofri um pouco com isso. Não é fácil, mesmo jogando com chuteira de trava de borracha.

Como está sua adaptação ao futebol russo?

Tudo aqui ainda é muito novo. Não aprendi a falar nada em russo. Ainda não peguei o frio rigoroso do país, mas já está um pouco gelado para quem passou a vida no calor de Picos, no Piauí, e depois no Rio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.