AP Photo/ Ben Margot
AP Photo/ Ben Margot

Oakland aprova estádio para tentar vetar ida de time da NFL para Las Vegas

Projeto é liderado por dois ex-jogadores: Rodney Peete e Ronnie Lott

O Estado de S.Paulo

14 de dezembro de 2016 | 12h31

Depois de ameaçar voltar para Los Angeles e se aproximar de se transferir para Las Vegas, o Raiders, franquia da NFL, pode permanecer em Oakland. Na noite de terça-feira, a câmara municipal da cidade aprovou a abertura de negociações para a construção de um estádio, orçado em US$ 1,3 bilhões.

O projeto é liderado por dois ex-jogadores: Rodney Peete e Ronnie Lott, este último pertencente ao hall da fama da liga de futebol americana. Neste projeto, a prefeitura da cidade californiana arcaria com US$ 350 milhões, apenas. "Ainda assim, temos um longo caminho adiante. Ainda temos que convencer a NFL, ainda temos que convencer Mark Davis (dono do Raidres)", lembrou Lott.

O problema é que Davis já encaminhou a transferência do Raiders para Las Vegas, em Nevada, insatisfeito com a indisposição de Oakland em ajudar na construção de um novo estádio.

O Raiders chegou a solicitar à NFL o retorno a Los Angeles, onde jogou de 1982 a 1994, num momento que três franquias queriam se transferir para lá, a NFL aprovou só a mudança do St. Louis Rams, dando ao San Diego Chargers a possibilidade de dividir estádio com o agora Los Angeles Rams. O Raiders só poderia compartilhar o estádio se o Chargers não quiser.

Depois disso, Davis se aproximou de um acerto com Las Vegas. Lá, conseguiu que o estado de Nevada ajude com US$ 750 milhões e que o magnata dos cassinos Sheldon Adelson pague outros US$ 650 milhões para a construção de um estádio de US$ 1,9 bilhões, que seria dividido com o time de futebol americano da Universidade de Nevada.

A transferência da franquia para Las Vegas, porém, precisaria ser aprovada por 24 dos 32 donos de franquias da NFL. Essa votação deve acontecer em janeiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.