Obras do Pan são retomadas, mas Vela ainda sofre ameaça

O Comitê Organizador dos Jogos Pan-Americanos de 2007 (CO-RIO), no Rio, conseguiu autorização do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) para o prosseguimento de algumas obras na Marina da Glória, mas a realização das provas de Vela no local continuam ameaçadas. Após uma reunião nesta quinta-feira à noite, o superintendente do órgão, Carlos Fernando Andrade, disse que um ?pequeno passo? foi dado para o entendimento e fixou a data de 9 de novembro para a resolução final do problema. ?O CO-RIO fez um esforço para minimizar as demandas e nós olhamos com muita simpatia o esforço. Verificamos que as obras poderão ser retomadas amanhã (sexta-feira)?, disse o superintendente do Iphan. ?Ainda não chegamos ao projeto final. Liberei as obras que poderia e temos até 9 de novembro, quando haverá a reunião do Conselho Consultivo do Iphan, que dará o aval final.? As obras da Marina da Glória foram paralisadas no dia 6 de setembro, após a Justiça cassar uma liminar que garantia a execução do projeto. A principal preocupação do Iphan é com a construção de uma estrutura de 19 mil metros quadrados sobre o espelho d?água da Baía de Guanabara e com a garagem de 15 metros de altura, que ofuscaria a visão do morro do Pão de Açúcar. Nesta sexta-feira serão retomadas as construções do quebra-mar e de uma calçada que ligará a parte antiga da Marina da Glória à nova. O presidente do CO-RIO, Carlos Roberto Osório, reconheceu que a principal construção do projeto, a laje sobre a Baía de Guanabara, onde ficaria a garagem, continua sem solução. ?Vamos passar a fazer reuniões diárias para resolver este problema. Podemos até adotar instalações temporárias?, afirmou o presidente do CO-RIO. ?Houve um avanço, mas a situação da Marina ainda é a nossa principal preocupação.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.