Fábio Motta/Estadão
Fábio Motta/Estadão

Obsessão de Bruno Fratus é evoluir na natação

Nadador vem de duas vitórias seguidas sobre Cielo e quer completar os 50 m livre em menos de 22s

Nathalia Garcia, enviada especial, O Estado de S. Paulo

08 de março de 2014 | 05h20

SANTIAGO - Com duas vitórias consecutivas sobre Cesar Cielo, recordista mundial dos 50 metros livre, Bruno Fratus dificilmente poderia começar melhor o seu ciclo olímpico. "Seguro e saudável", como define o nadador, que estreará no domingo, às 11h, nos Jogos Sul-Americanos, em Santiago, no Chile, com o objetivo de confirmar a boa fase.

O velocista "esquece" os adversários e afirma que o próprio tempo será o seu grande rival nas piscinas. Ele traça como meta baixar a marca de 22s, com a qual foi campeão no Grand Prix de Orlando, em fevereiro, mas prefere não estabelecer um tempo exato e ter em mente apenas a evolução, tentando ser mais veloz a cada dia.

"Sempre tive como meta ser mais rápido do que fui no passado. Colocar um tempo na sua cabeça te limita porque um número é uma coisa limitada. Tenho outras formas de me motivar", afirma Fratus.

Foi com esse pensamento que o nadador arrancou as vitórias no Troféu Open, em dezembro, em Porto Alegre, e no GP nos Estados Unidos, e é com ele que tem conseguido deixar Cielo para trás. Mas ele prefere não dar importância ao feito e exalta apenas a boa sequência. "Ganho confiança por ter vindo de duas provas positivas", comenta.

Apesar de vislumbrar os Jogos Olímpicos do Rio, Fratus sabe que tem uma longa caminhada até 2016. "Toda queda na água é uma oportunidade de melhorar, de corrigir, prestar atenção e se superar. É, sim, uma preparação para a Olimpíada. A gente foca, mas não dá 100% de atenção para o assunto ainda."

Ele prefere pensar em cada desafio no seu devido tempo e mostra entusiasmo ao apontar o Troféu Maria Lenk e o Pan-Pacífico, na Austrália, como as disputas mais competitivas desta temporada. Para o nadador, o Maria Lenk, que voltará para São Paulo neste ano, será bem atrativo para o público.

"Tem sido extremamente prazeroso disputar com o Cielo e o Marcelo (Chierighini) na prova dos 50 metros. Vai ser uma competição interessante."

Em janeiro, o nadador deu um novo rumo para a sua vida ao se mudar para Auburn, nos Estados Unidos, para treinar com Brett Hawke, especialista em provas de velocidade. Atraído pela competência do treinador, Fratus não poupa elogios ao ex-mentor de Cielo e também à estrutura encontrada por lá. "O trabalho do Brett é algo enorme para mim. Ele é um dos melhores treinadores de velocistas do mundo. E não conheço nada melhor do que a estrutura de treinamento."

Outro fator que tem encantado o nadador é a qualidade de vida na nova casa. "Tenho uma qualidade de vida infinitamente superior do que tinha em São Paulo. Isso ajuda na parte da saúde mental."

Apesar da transferência, Fratus continua como atleta do Pinheiros e representa o clube nas principais competições. Satisfeito com as escolhas, quer continuar nesse caminho, sem definir quanto tempo ficará fora do País.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.