Oferta por Kaká recebe críticas na Grã-Bretanha

Valor seria 'obsceno' em tempos de crise, dizem jornais e especialistas; jogadores também não concordam

Da BBC Brasil, BBC

16 de janeiro de 2009 | 11h54

A oferta milionária feita pelo Manchester City por Kaká tem dominado os cadernos esportivos da Grã-Bretanha e provocado muitas críticas acaloradas no mundo do futebol britânico. Veja também:Robinho diz que Kaká é sonho antigo do Manchester City Pato quer que Kaká fique no Milan Técnico do Arsenal nega inveja do Manchester City Manchester City não vive no mundo real, diz Wenger Ancelotti torce para que Kaká fique no Milan Manchester City segue otimista com resposta de Kaká Bate-Pronto - Kaká: Manchester City ou Milan? Kaká conhece a proposta, mas ainda não negociaMilan aceita vender Kaká para o Manchester City Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão Manchetes ou frases como "Going gaga for Kaka" ("Ficando maluco por Kaká"), "King Kaka" ou "Its all gone Ka-ka-Krazy" ("Tudo isso é uma loucura"), tem sido a tônica nos jornais mais populares. Nos jornais mais prestigiosos, entretanto, muitos questionam a oferta recorde feita pelo jogador, estimada em valores que vão de 90 a 135 milhoes de libras (entre R$ 312 milhões e R$ 476 milhões), muito mais do que o dobro das 46 milhoes de libras (R$ 160 milhões) que o Real Madrid pagou por Zidane, em 2001, o valor mais alto já pago pela compra de um jogador. "A postura obscena do Manchester City faz um torcedor adulto chorar", diz no Guardian desta sexta-feira um dos principais colunistas de futebol do país, Simon Hattenstone, torcedor do clube que quer Kaká. "A busca indecente por Kaká está fazendo o meu time impossível de ser amado", escreve Hattenstone, que já tinha feito críticas semelhantes quando o Manchester City anunciou a compra de Robinho. As críticas giram em torno do valor da oferta pelo jogador, considerada excessivamente alta. O jornal Daily Telegraph diz, na sua edição desta sexta-feira, que com as supostas 135 milhões de libras oferecidas por Kaká, "daria para salvar milhares de empregos e várias empresas em dificuldades". O jornal lembra uma pesquisa divluigada nesta semana, que revela que quase 30% dos torcedores que compram cadeiras cativas no país não vão renovar seus carnês para a próxima temporada por causa da crise financeira. Entre jogadores, técnicos e ex-jogadores, as opiniões não são muito diferentes. A oferta seria "imoral" e "injusta", diz Arsene Wenger, técnico do Arsenal. A proposta do Manchester City não estaria "de acordo com a realidade atual".  "Boa sorte para eles. Mas esse não é o mundo real", diz Wenger. O ex-atacante inglês Alan Shearer disse à BBC Sport que Kaká é provavelmente um dos melhores jogadores do mundo, mas que "niguém vale 100 milhões de libras (R$ 346 milhões)". "Esse dinheiro está em um patamar diferente de tudo o que já vimos antes", disse o ex-jogador. Rodney Marsh, ex-ídolo do Manchester City, também questiona a contratação, dizendo que "a grande questão é se a vinda de Kaká irá melhorar o Man City e ajudar o clube a chegar ao topo da primeira-divisão do campeonato inglês, e eu duvido disso". BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.