Olímpia realiza ensaio do acendimento da tocha olímpica

O teste final do acendimento da tocha olímpica foi realizado nesta quarta-feira sem nenhum incidente em Olímpia, o berço dos Jogos Olímpicos da antiguidade. De frente para o antigo Templo de Hera, uma mulher vestida como uma sacerdotisa usou um espelho côncavo para utilizar a luz solar para acender a tocha.

AE -AP, Agência Estado

09 Maio 2012 | 12h11

Essa chama vai servir como reserva no caso de as nuvens bloquearem a luz solar na cerimônia oficial, marcada para quinta-feira. Isso aconteceu apenas uma vez na história recente dos Jogos, em 2000, para os Jogos de Sydney. Porém, as condições climáticas causaram problemas em três das últimas quatro cerimônias para a Olimpíada de Inverno.

O teste aconteceu com a presença de centenas de visitantes do sítio arqueológico, mas o acesso será limitado na cerimônia de quinta-feira, com forte esquema de segurança. No teste, 13 jovens realizaram poses aludindo aos esportes olímpicos.

O primeiro responsável por carregar a tocha será o nadador Spyros Gianniotis, de 32 anos, que nasceu em Liverpool, ganhou uma medalha de prata para a Grécia na maratona aquática de 5 quilômetros na Olimpíada de Pequim e participará pela quarta vez dos Jogos. Ele a passará por Alex Loukos, de 19 anos, que nasceu e foi criado no bairro londrino de Newham, onde está o Parque Olímpico de Londres.

Após uma viagem de 2.800 quilômetros pela Grécia nas mãos de 490 pessoas, a chama será entregue aos organizadores dos Jogos de Londres em 17 de maio no Estádio Panathinaiko, onde os primeiros Jogos Olímpicos modernos foram realizados em 1896. Ao contrário de edições anteriores da Olimpíada, em que a chama viajou pelo planeta, desta vez ela só sairá uma vez do Reino Unido, em 6 de junho, para passar por Dublin. Os Jogos Olímpicos serão disputados entre 27 de julho 12 de agosto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.