''Ondulação? Não há o que reclamar'', garante Kanaan

Não é preciso ser um especialista em automobilismo para perceber que os 4.180 metros da pista que receberá o GP de São Paulo da Fórmula Indy, domingo, no Anhembi, não são dos mais confortáveis para os pilotos. Basta dar uma volta de carro comum para notar as constantes ondulações nas duas principais retas. "Tudo isso faz parte. Cada pista tem a sua característica, não é o ideal, mas não temos do que reclamar", afirmou Tony Kanaan, sempre sorridente, um dos brasileiros com mais chances de conquistar a vitória.

, O Estadao de S.Paulo

13 de março de 2010 | 00h00

Outro favorito, Hélio Castroneves destaca o fato de os carros na Indy serem "iguais" - mesmo motor, chassi e pneus. "Todo mundo vai sofrer da mesma forma. Alguns pilotos conseguem se adaptar mais rápido do que outros, mas acredito que todos atingirão um nível parecido até o treino da classificação (amanhã à tarde), após os dois treinos da parte da manhã."

Os carros da Indy estão acostumados a disputar provas em circuitos de rua. Nesta temporada, das 17 provas previstas, 12 delas serão em circuitos permanentes. Os GPs de São Paulo, São Petersburgo (Flórida), Long Beach, Toronto e Edmonton são disputados em pistas de rua.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.