Ordem é ser prudente no GP de Cingapura

Parecia discurso combinado: os cinco pilotos que lutam pelo título disseram o mesmo, ontem, no circuito Marina Bay, onde hoje começam os treinos livres do GP de Cingapura, 15.ª etapa do campeonato. "Não marcar pontos está fora de questão. Precisamos terminar as corridas, o que nos vai permitir chegar a Abu Dabi em condições de poder ser campeão", afirmou Mark Webber, da Red Bull, líder do Mundial, com 187 pontos.

, O Estado de S.Paulo

24 de setembro de 2010 | 00h00

O segundo colocado, Lewis Hamilton, da McLaren, 182 pontos, mais do que ninguém será prudente, em especial por ter cometido erro primário do GP da Itália, dia 12, ainda na primeira volta. "Adoro as pistas de rua", disse, e lembrou seu retrospecto nas duas edições do GP de Cingapura: "Fui terceiro em 2008 e penso que poderia ter vencido se não tivesse ocorrido o que aconteceu (Nelsinho Piquet bateu de propósito para Fernando Alonso, companheiro de Renault, ganhar) e, no ano passado, fui primeiro."

Com 166 pontos, Alonso, terceiro, agora numa Ferrari em ascensão, falou: "Cinco pódios seguidos deverão representar o título." As declarações dos candidatos ao Mundial sugerem que vão pilotar com a ponta dos dedos. Jenson Button, da McLaren, quarto, 165 pontos, acredita que Webber está sob maior pressão. "Ele ainda não foi campeão." Apenas Webber e o parceiro, Sebastian Vettel, não venceram o campeonato. Hamilton, Alonso e Button já conquistaram o título.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.