Orlando Silva faz cobrança e manda recado ao São Paulo

Ministro usa o discurso oficial de apoio ao Morumbi, mas diz que estádio precisa se adequar às exigências da Fifa

Leandro Cólon, O Estado de S.Paulo

16 de abril de 2010 | 00h00

O ministro do Esporte, Orlando Silva Júnior, mandou ontem um recado à diretoria do São Paulo: "em vez de criar polêmica", é preciso cumprir as determinações da Fifa para garantir o Morumbi como sede da abertura da Copa do Mundo de 2014. O aviso foi dado pelo ministro, em entrevista coletiva, após reunião, em Brasília, com o secretário-geral da Fifa, Jerome Valcke, e o presidente da CBF, Ricardo Teixeira.

Na terça-feira, o Estado revelou que a Fifa planeja excluir o Morumbi do Mundial. Diante disso, um plano B estaria em ação para a construção de um estádio adequado para realizar a partida de abertura.

Ontem, o ministro Orlando Silva evitou falar em decisão definitiva, mas não perdeu a oportunidade de dar um ultimato à diretoria do Tricolor paulista, incomodada com as críticas ao projeto do clube para a reforma do estádio. "O Morumbi terá de cumprir todos os critérios estabelecidos pela Fifa se quiser a abertura do Mundial. E acredito que deve cumprir isso com o apoio do São Paulo, da cidade e do governo Estado", afirmou o ministro. "Não há plano B e o Morumbi deve ser a sede desde que cumpra todos os critérios estabelecidos pela Fifa", comentou Orlando. Ele destacou ainda a importância de a capital paulista inaugurar a Copa. "A cidade de São Paulo é o destino da maioria dos voos internacionais, tem a maior rede hoteleira e infraestrutura para receber a demanda de tantos chefes de Estado."

O Estado apurou que o ministro, o prefeito e os dirigentes da CBF só vão se manifestar sobre o plano B quando o Morumbi for oficialmente descartado pela Fifa. Por enquanto, todos mantêm o discurso de apoio ao estádio são-paulino. De acordo com o ministro, o governo brasileiro não vai se intrometer na escolha do estádio que vai abrigar o jogo de abertura do mundial. "O Mundial de 2014 tem dono, a Fifa."

Decisão da Fifa. Embora não anuncie, a Fifa já tomou a decisão de excluir o Morumbi da Copa por falta de adequação às exigências da organização e por questões financeiras. "A cidade tem capacidade para dar solução a uma arena que siga os padrões estabelecidos pela Fifa para a abertura", chegou a dizer o ministro, insinuando a construção de um novo estádio na capital paulista. Depois, ele recuou e reforçou o discurso de que, por enquanto, aposta no Morumbi.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.