Ortigoza garante a virada do Palmeiras

Paraguaio faz os dois da vitória que antecipa ida do time às semifinais

Bruno Deiro, O Estadao de S.Paulo

25 de março de 2009 | 00h00

Em um triunfo sem brilho, o oportunismo de Ortigoza foi a surpresa do Palmeiras na vitória por 2 a 1 sobre o Bragantino, de virada, ontem, no Palestra Itália. O atacante paraguaio saiu do banco para garantir o Palmeiras, por antecipação, nas semifinais do Campeonato Paulista. "O segredo é trabalhar para que as coisas aconteçam dentro de campo", afirmou Ortigoza, que, mesmo sem impressionar pela habilidade, mostrou bom posicionamento. Com a classificação garantida - o Palmeiras chegou aos 40 pontos -, o objetivo agora é manter a liderança. "É continuar com a mesma vontade e fazer de tudo para terminar na frente. É importante pelos resultados de empate, que na semifinal e na final fazem muita diferença", disse o goleiro Marcos.No primeiro tempo, o Palmeiras pagou caro pela decisão de colocar em campo os reservas de sua já fragilizada defesa. Confuso, o sistema defensivo palmeirense deu susto no torcedor em cada bola alçada à área de Marcos. Aos 11, a insegurança virou desvantagem no placar. Ao tentar cortar cruzamento da direita, Jéci marcou contra. O zagueiro foi substituído cerca de 15 minutos depois da falha, para a entrada de Ortigoza.Mesmo atrás no marcador, o Palmeiras não conseguiu boas chances. A falta de qualidade na saída de bola, somada às atuações apagadas de Cleiton Xavier e Diego Souza, trouxeram dificuldades na transição para o ataque. O time escapou das vaias no intervalo graças ao talento de Diego Souza, no último minuto da etapa inicial. Em bela jogada individual dentro da área, o meia livrou-se de dois marcadores e cruzou para Ortigoza, que bateu com força no alto para empatar a partida. No segundo tempo, o atacante paraguaio novamente mostrou oportunismo para virar a partida. Aos 8 minutos, aproveitou rebatida do goleiro Gilvan e fez o segundo.A festa só não foi completa por causa da expulsão de Diego Souza, que deixou o time com um a menos aos 20 minutos da etapa final. O meia levou o segundo cartão amarelo após segurar um jogador adversário pela camisa. Com isso, está fora do clássico contra o São Paulo, sábado, no Morumbi. Na saída, não poupou ofensas ao árbitro Robério Pereira Pires - e pode pegar suspensão ainda maior.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.