Os 60 anos do mito Carlos Monzón

Vários fatos trágicos marcam a categoria dos pesos médios fora dos ringues. Marcelo Cerdan tinha 35 anos quando seu avião caiu, Stanley Ketchel levou um tiro do marido de uma de suas amantes aos 24, Kid Mc Coy suicidou-se, Harry Greb morreu em um acidente de automóvel aos 32, mesma idade com que Tiger Flowers entrou em um hospital para retirar os pontos de uma ferida e morreu de colapso e Randin Turpin recebeu um tiro na cabeça, aos 22. Com Carlos Monzón, que completaria 60 anos dia 7 de agosto, não foi diferente. Maior pugilista da Argentina de todos os tempos, campeão dos pesos médios de 1970 a 1977, invicto em seus últimos 80 combates, sétimo no ranking da revista The Ring, Monzón morreu no domingo, 8 de janeiro de 1995, ao bater seu Renault 19, por volta das 18 horas, a 50 quilômetros de Santa Javier, cidade onde nasceu. Monzón retornava para a prisão de Las Flores, onde cumpria pena e desfrutava de 48 horas de liberdade aos finais de semana. Leia mais no Estadão

Agencia Estado,

11 Agosto 2002 | 10h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.