Osasco vence a segunda e chega à final feminina

ARAÇATUBA

, O Estado de S.Paulo

24 de abril de 2011 | 00h00

O time do Osasco venceu o Vôlei Futuro por 3 sets a 0 (25/21, 25/16 e 25/21), ontem, no Ginásio Plácido Rocha, em Araçatuba. Com o resultado, o atual campeão fechou a série melhor de três jogos em 2 a 0 e garantiu presença em sua 10.ª final consecutiva da Superliga Feminina de Vôlei. Agora, voltará a encontrar a velha rival Unilever, na decisão marcada para o dia 30, no Mineirinho, em Belo Horizonte.

O Osasco soma outros três títulos na história da Superliga. Mas leva desvantagem no confronto com a Unilever (antiga Rexona), contra a qual disputou a final das últimas seis edições da competição, tendo sido campeã duas vezes. Agora, será escrito um novo capítulo desse incrível duelo, em um jogo único que vai definir a vencedora da temporada 2010/2011.

Nas semifinais, o Osasco enfrentou um adversário abalado e fragilizado. O Vôlei Futuro sofreu um trauma com o acidente do ônibus da delegação no dia 12 de abril, poucas horas antes do primeiro jogo do confronto. A programação das partidas da Superliga foi adiada, mas, uma semana depois da batida, ainda com algumas jogadoras se recuperando dos ferimentos, a equipe de Araçatuba teve de voltar à quadra para jogar.

Desfalque. O Vôlei Futuro ainda ficou sem uma de suas titulares, a líbero americana Stacy Sykora, que sofreu os ferimentos mais graves no acidente do ônibus. Ela ainda segue internada no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, mas tem mostrado uma boa recuperação. Assim, o time de Araçatuba foi presa fácil para o poderoso adversário, que venceu o primeiro jogo na quarta-feira e voltou a ganhar ontem.

Comandado pelo técnico Luizomar de Moura, o Osasco é uma verdadeira seleção. Conta com jogadoras que são regularmente convocadas por José Roberto Guimarães, como Jaqueline, Thaísa, Adenízia, Natália, Sassá e Camila Brait. Do outro lado, a também finalista Unilever, do treinador Bernardinho, não fica atrás: Dani Lins, Sheilla, Mari, Fabi e Valeskinha fazem parte do grupo.

TRADIÇÃO

10ª

final consecutiva da Superliga Feminina de Vôlei disputará a equipe do Osasco. As últimas seis decisões da competição tiveram o Unilever como rival. Na estatística, o time do Rio

leva vantagem, pois conquistou quatro títulos, contra dois das paulistas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.