Ouro inédito começa em janeiro, no Peru

Sob a liderança de Ney Franco, seleção sub-20 inicia caminhada pelo almejado topo olímpico no Sul-Americano

Amanda Romanelli, O Estado de S.Paulo

27 de dezembro de 2010 | 00h00

Todo torcedor que acompanha a seleção brasileira de futebol sabe, de cor, qual o único título que ainda não foi conquistado pelos pentacampeões mundiais: a medalha de ouro olímpica. É em busca deste sonho não realizado que a equipe sub-20 joga, já em janeiro, o Sul-Americano do Peru. O torneio, que começa no dia 16, dá duas vagas para a Olimpíada de Londres, em 2012.

O responsável por liderar o jovem time rumo à vaga é Ney Franco. O técnico, que foi campeão brasileiro da Série B este ano com o Coritiba, trabalhará em conjunto com Mano Menezes - mas será o treinador da seleção principal quem comandará a equipe olímpica, com atletas abaixo de 23 anos, na Inglaterra.

O time sub-20 deu início à primeira etapa de treinos na Granja Comary, QG da seleção brasileira em Teresópolis, região serrana do Rio, no dia 13.

Ney Franco convocou 25 atletas e espera fazer cinco cortes às vésperas da viagem para a competição. O Brasil estreia em 17 de janeiro, contra o Paraguai.

Neymar (Santos), Oscar e Juan (ambos do Internacional) se apresentaram ontem e iniciam hoje a preparação com o grupo de 21 jogadores já concentrados. Philippe Coutinho (Inter de Milão) chega no dia 3.

Ney Franco terá em campo, portanto, algumas das principais promessas do futebol brasileiro. E o técnico sabe que não terá facilidade em lidar com tanta capacidade técnica.

"Mesmo com uma geração talentosa, teremos muito trabalho. Precisamos preparar esses jogadores técnica, tática e psicologicamente para alcançar nosso objetivo, que é o de disputar a Olimpíada de 2012", disse o treinador, que também assumiu o cargo de coordenador técnico das equipes de base brasileiras.

Aprendizado. A história deixa ensinamentos. A seleção mais talentosa antes da geração de 2011 surgiu em 2004. O time que era treinado por Ricardo Gomes contava com Robinho, Diego, Elano, Nilmar... Uma seleção de craques. Mas nem sequer conseguiu a classificação no Torneio Pré-Olímpico. Resultado: o futebol masculino do Brasil ficou fora dos Jogos de Atenas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.