Ouro mundial de Fabiana Murer leva Vitaly Petrov às lágrimas

Técnico ucraniano fica emocionado ao falar da conquista no salto com vara. 'O Brasil construiu uma campeã do zero'

Amanda Romanelli, O Estado de S. Paulo

22 de novembro de 2011 | 20h56

SÃO PAULO - Fabiana Murer conquistou a primeira medalha de ouro do atletismo brasileiro em Mundiais no dia 30 de agosto, ao vencer a disputa do salto com vara em Daegu, na Coreia do Sul. Mas a vitória, ocorrida há quase três meses, ainda é capaz de emocionar um personagem importante nesta história: o ucraniano Vitaly Petrov.

O técnico que revelou Sergey Bubka, até hoje recordista mundial da prova masculina, e que treinou Yelena Isinbayeva no auge de sua carreira, não segurou as lágrimas ao falar da conquista brasileira nesta segunda-feira, em sua segunda visita ao País em 2011. "E pensar que dez anos atrás, o Brasil não tinha salto com vara e construiu uma campeã mundial do zero", disse, emocionado. "Ela sabia dessa responsabilidade e conseguiu essa medalha... eu choro, mas é de felicidade! E olha que foi a minha 29.ª medalha em Mundiais e Olimpíadas."

Petrov conheceu Fabiana em 2001, quando a saltadora não era nem a melhor atleta da prova no país. Mas graças ao trabalho de ensinamento de sua técnica do salto com vara para Elson Miranda, treinador da brasileira, os resultados começaram a surgir. As visitas de Petrov ao Brasil e as do grupo de Elson a Fórmia, na Itália, onde ele trabalha em um centro da Federação Internacional (IAAF), começaram espaçadas, apoiadas pelo clube BM&F Bovespa, até ficarem mais frequentes. Agora, Petrov é, oficialmente, consultor da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt).

A parceria, que só pôde ser estreitada após o fim do vínculo de Petrov com Isinbayeva, já havia sido colocada em prática no Mundial. O ucraniano viajou com Fabiana para etapas da Liga Diamante e fez parte da delegação brasileira em Daegu. "Eu sabia que ela ganharia uma medalha, só não sabia qual seria a cor. Mas a Fabiana é uma grande competidora, estava pronta, e pronta aqui (aponta para a cabeça)."

Parte importante do processo de consolidação de Fabiana como uma atleta de ponta no salto com vara, Petrov não vê, porém, motivos para colher os méritos pela conquista. "Eu tenho sempre que permanecer na sombra. A conquista é da Fabiana e do Elson. Eu só ajudei no que pude." Nos bastidores, entretanto, Petrov mostrou-se bastante emocionado com uma simples atitude da saltadora: após colocar a medalha de ouro no peito, Fabiana foi mostrá-la ao ucraniano. Algo que, até então, nenhum atleta havia feito.

As perspectivas para 2012, claro, são a de melhora de resultados. Além de confiar na conquista de uma medalha olímpica, Petrov acredita que Fabiana tem totais condições de se aproximar dos 5 metros. A única atleta a superar essa altura, até hoje, foi justamente Isinbayeva.

Tudo o que sabemos sobre:
atletismoFabiana MurerVitaly Petrov

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.