Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
John G. Mabanglo/Efe
John G. Mabanglo/Efe

Packers bate o rival Bears por 21 a 14 e garante vaga no Super Bowl XLV

Agora campeã da NFC, equipe de Green Bay volta à final da NFL após 13 anos

ALAN RAFAEL VILLAVERDE, estadão.com.br

23 de janeiro de 2011 | 21h59

SÃO PAULO - Os 70 anos de espera por um confronto de playoff entre Bears e Packers foram recompensados na noite deste domingo com uma partida muito disputada, que terminou com a vitória da equipe de Green Bay por 21 a 14, no Soldier Field, em Chicago, válida pela final da Conferência Nacional da NFL.

Com a vitória sobre seu grande rival, o Packers, que se classificou apenas na sexta posição para os playoffs da NFC, volta ao Super Bowl depois de 13 anos, e busca o seu quarto título. Seu adversário sai logo mais da final da AFC entre Pittsburgh Steelers e New York Jets.

A vitória sobre o rival histórico parecia que seria muito fácil. Logo no primeiro drive do jogo, o quarterback Aaron Rodgers comandou com perfeição o ataque, fechando ele mesmo com um touchdown corrido. Foram 84 jardas percorridas em apenas sete jogadas. Já no segundo quarto, a equipe de Green Bay abriu 14 a 0 no placar com um touchdown de James Starks, uma das gratas revelações da equipe durante estes playoffs.

Com o ataque funcionando, a defesa do Packers foi implacável com o ataque do Bears, que nada fez. O quarterback Jay Cutler arremessou para apenas 80 jardas, com uma interceptação. O jogador não voltaria para o terceiro e quarto períodos do jogo, alegando dores no joelho.

Sem Cutler, o destino do Bears era obscuro. Para piorar, o segundo quarterback do time, Todd Collins, também se machucou, fazendo com que o terceiro reserva, Caleb Haine, entrasse em campo com a missão de reverter a vantagem do adversário.

Mas aí a defesa do Bears apareceu e mostrou o porquê de ser uma das melhores da NFL. Com boa pressão da linha defensiva, além da secundária mais atenta, a equipe de Chicago parou Aaron Rodgers, que errou demais, cedendo duas interceptações, apesar das 244 jardas arremessadas. "Eu não joguei o melhor jogo e tem de ser dado crédito à defesa deles por isso", disse Rodgers.

Para colocar fogo no confronto, que foi disputado sob um frio de -6ºC, Caleb Haine fez um bom trabalho e liderou o Bears ao seu primeiro touchdown, no último período. 14 a 7 no placar e a torcida esperançosa.

A noite, no entanto, era do Packers. Haine hesitou e foi interceptado pelo grandalhão B.J. Hagi, que anotou o touchdown. O erro foi prontamente consertado no drive seguinte, com o quarterback do Bears lançando a bola para o touchdown de Earl Bennett, recolocando sua equipe na briga pela vitória. Mas a falta de experiência do jogador selou o destino da franquia de Chicago com mais uma intercepção quando estava perto de empatar a disputa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.