Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

Paes diz que Rio-2016 'vai deixar Barcelona-1992 no chinelo'

Prefeito promete legado em obras de infraestrutura e mobilidade

ANA FERNANDES, Estadão Conteúdo

26 de maio de 2015 | 09h53

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PMDB), defendeu há pouco nesta terça-feira que o Brasil perdeu uma oportunidade de aproveitar a Copa do Mundo do ano passado e que não deve cometer o mesmo erro na Olimpíada de 2016, que será realizada no Rio. Segundo Paes, a nação reforçou o estereótipo de país alegre e receptivo, mas não avançou no ambiente de negócios com o evento.

"Qual a marca que nós deixamos? Povo que faz festa? Acho isso muito bom, mas esse estereótipo nós já temos", comentou em sua apresentação em evento promovido pelo Grupo de Líderes Empresariais (Lide).

O prefeito do Rio citou exemplos de outros países que avançaram com a realização de eventos esportivos, como China, Coreia do Sul e Espanha. Ele argumentou que os Jogos Olímpicos são de fato um momento para a cidade que a recebe avançar. "Quando ganhamos a Olimpíada era o momento daquela capa da Economist (revista norte-americana) com o Cristo subindo", lembrou ao dizer que a ideia seria esta, mas afirmou em tom de brincadeira que capas mais recentes mostraram "o troço caindo", assim como enfatizou que o importante é que o Rio saberá aproveitar a oportunidade.

"Vamos deixar Barcelona no chinelo", disse Paes sobre a sede espanhola dos Jogos Olímpicos de 1992, ao prometer que o Rio deixará um legado de obras de infraestrutura e mobilidade maior do que o ganhado pela cidade catalã. O prefeito apresenta nesta terça-feira uma série de obras em andamento no Rio aos empresários que acompanham o evento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.