Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Pai de Jade culpa Confederação por lesão da atleta

César Barbosa afirma que alguém precisa ser responsabilizado pela grave contusão de sua filha

Amanda Romanelli - O Estado de S.Paulo,

10 de setembro de 2008 | 22h53

O arquiteto César Barbosa, pai da ginasta Jade Barbosa, promete processar a Confederação Brasileira de Ginástica (CBG) por causa da grave lesão constatada no punho direito da atleta de 17 anos. "Minha intenção de ir à Justiça está de pé", disse César. "Ainda vou falar com o Flamengo, que é o clube da Jade, mas pretendo contratar um advogado para ver o que é possível fazer. Alguém precisa ser responsabilizado".Como a seleção permanente feminina de ginástica foi desfeita após a Olimpíada de Pequim, Jade voltou a morar com o pai e o irmão, no Rio. Também retornou aos treinos no Flamengo. Na terça-feira, foi examinada pelo médico ortopedista Ricardo Laranjeira e houve a constatação de uma osteonecrose, lesão no capitato (osso central do punho) que limita a circulação sanguínea."Ela está com um cisto no punho, com artrose, com tendinite. Com tudo o que tem direito", desabafou César. "Só sei que minha filha foi para Curitiba aos 13 anos e com perfeita saúde. E agora me devolvem ela assim".Por enquanto, a ginasta ficará com o local imobilizado por 30 dias e, depois, passará por nova avaliação. O tratamento será fisioterápico e uma cirurgia - que poderia limitar os movimentos na região e, conseqüentemente, influenciar a carreira da atleta - não está totalmente descartada.De acordo com o pai de Jade, o problema no pulso foi constatado por uma ressonância magnética há uma semana. Mas Jade estaria sofrendo com a lesão desde janeiro. "Estou muito chateado porque a Jade foi prejudicada na Olimpíada. Quem a via treinando sabia que ela não teria condições de competir bem. Era eu quem ficava tentando animá-la por telefone, quando ela me ligava de Pequim".César afirma que ele e a ginasta não foram avisados da gravidade da lesão. "Eles vão até o limite com as atletas. Alguém da CBG deveria ter entrado em contato comigo. Afinal, não sou um pai ausente". Todo o tratamento tem sido custeado pela família da atleta.Jade dividiu com Diego Hypólito as apostas de medalha da ginástica artística brasileira em Pequim. Mas a atleta voltou com um 7.º lugar no salto, um 10.º no individual geral e não conseguiu classificação para a decisão do solo. Para César, a lesão foi determinante para o resultado insatisfatório da ginasta.A Confederação Brasileira de Ginástica não comenta o assunto. Procurada pela Agência Estado, Eliane Martins, supervisora de seleções, afirmou que não iria se pronunciar sobre o assunto. "Estamos conversando ainda e, no momento oportuno, vamos nos posicionar em uma nota oficial", declarou.

Tudo o que sabemos sobre:
Jade Barbosaginástica artística

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.