Fabrizio Bensch/ Reuters
Fabrizio Bensch/ Reuters

Palco de recordes, Maratona de Berlim anuncia cancelamento da edição 2020

De acordo com a organização, a decisão foi tomada 'após longa avaliação e diversas discussões'

Redação, Estadao Conteudo

24 de junho de 2020 | 15h36

Poucas horas após o anúncio do cancelamento da Maratona de Nova York, a organização da Maratona de Berlim seguiu pelo mesmo caminho e anunciou que neste ano não haverá corrida num dos palcos mais famosos do atletismo mundial. Os últimos sete recordes mundiais da tradicional prova foram batidos na capital alemã.

De acordo com a organização, a decisão de cancelar o grande evento foi tomada "após longa avaliação e diversas discussões". A prova estava agendada para 27 de setembro. E os organizadores avaliaram que seria cedo demais para provocar aglomerações em solo alemão. Ao mesmo tempo, não encontraram nova data disponível para a realização da corrida.

Será a primeira vez, desde o lançamento da maratona, em 1974, que Berlim não receberá a prova. O anúncio veio poucas horas após a decisão da Maratona de Nova York de cancelar a edição deste ano, justamente pelo risco de aglomeração e contágio por covid-19. A Alemanha vem registrando aumento de casos nos últimos dias, enquanto os Estados Unidos seguem como o recordista de número de infectados e de mortos no mundo.

Com traçado plano e veloz, a Maratona de Berlim é uma das mais rápidas do mundo. Todos os recordes mundiais batidos desde 2003 aconteceram nas ruas da capital alemã. O recorde atual, registrado pelo queniano Eliud Kipchoge (2h01min39s), foi obtido em Berlim em setembro de 2018.

No ano passado, o etíope Kenenisa Bekele esteve perto de superar o rival no mesmo traçado. Mas acabou ficando dois segundos atrás da melhor marca da história.

Tudo o que sabemos sobre:
atletismocorrida de ruacoronavírus

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.