Palestra pronto. Mas o gramado...

Contra o Rio Preto, hoje, o Palmeiras volta a atuar no seu estádio, com um novo e ainda esburacado campo

Daniel Akstein Batista, O Estadao de S.Paulo

23 de fevereiro de 2008 | 00h00

O Palmeiras rodou o Estado de São Paulo nas 10 primeiras rodadas do Campeonato Paulista. Como mandante, jogou em Barueri, Piracicaba e São José do Rio Preto. Tudo para esperar as reformas do Palestra Itália ficarem prontas - a sala de imprensa, os vestiários e, principalmente, o gramado. Hoje, contra o lanterna Rio Preto, às 20h30, o torcedor palmeirense finalmente vai ver seu time de volta ao Palestra Itália. E os jogadores vão atuar em um gramado que não está totalmente em ordem.As falhas no campo são visíveis. Areia foi colocada nos lugares em que a grama não nasceu. Culpa, dizem os especialistas, das fortes chuvas que caíram na capital paulista nos últimos dias. Mas eles garantem que isso não irá prejudicar o espetáculo. "Está com condições de jogo", afirma Roberto Gomide, presidente da World Sports, empresa responsável pelo gramado palestrino. "É preciso 90 dias para (a grama) atingir a maturidade. Estamos só com 40."A última partida do Palmeiras no Palestra não traz boas lembranças aos torcedores. No dia 2 de dezembro, pela última rodada do Brasileiro, bastava uma vitória sobre o Atlético-MG e a vaga na Libertadores se tornaria realidade. O resultado final foi a derrota por 3 a 1, a revolta da torcida e, posteriormente, a queda de Caio Júnior.O técnico Vanderlei Luxemburgo pede que os tropeços anteriores sejam esquecidos e se apóia nos próprios números para pedir a força do torcedor. Nas últimas três vezes em que passou pelo clube, conquistou no estádio 80 vitórias e 11 empates. Foram apenas 4 derrotas. "Meu percentual é alto e vamos continuar assim." Luxemburgo concorda que o gramado não está em perfeitas condições, mas está otimista. "Ainda não é o ideal, mas vai ficar bom."Além da grama nova, que favorece o toque rápido de bola (a anterior era mais alta, pesada), o campo aumentou - passou de 104 m x 75 m para 109,7 m x 75 m. "Vai ser mais difícil para o adversário se retrancar", disse o treinador. Uma vitória hoje poderá colocar o Palmeiras no grupo dos quatro melhores - com 15 pontos, está em 8º. Léo Lima, suspenso, dá lugar a Wendel. E David sai para a entrada de Martinez, que pode jogar como volante ou zagueiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.