Palmeiras B faz festa do público no interior

Com reservas, equipe pega o Atlético em Araraquara e se torna atração na cidade que poucas vezes tem recebido os grandes

Daniel Akstein Batista, O Estado de S.Paulo

21 de novembro de 2010 | 00h00

Há 11 dias, Palmeiras e Atlético-MG se enfrentaram no Pacaembu em um jogo que só valia para o time paulista. Na tarde de hoje, os interesses se invertem e apenas o rival mineiro, ameaçado de rebaixamento, tem motivos de sobra para definir a partida que começa às 17 horas, em Araraquara, como uma das mais importantes do ano.

Pela confusão que sua torcida causou no clássico contra o Corinthians, o Palmeiras perdeu dois mandos de campo (o outro será com o Fluminense) e resolveu aceitar o convite da prefeitura da cidade do interior para se apresentar - assim, esperam diretores do clube, a renda será maior do que se o jogo fosse realizado no Pacaembu.

O torcedor que hoje for à Fonte Luminosa, no entanto, pagará ingresso para ver os reservas palmeirenses contra a força máxima atleticana.

Luiz Felipe Scolari não está preocupado com o Brasileiro. Quer, isso sim, concentração total na Sul-Americana. Palmeiras e Atlético se enfrentaram nas quartas de final da competição e os mineiros pouparam os titulares. Vitorioso, o Alviverde enfrenta o Goiás na quarta-feira por uma vaga na decisão - venceu o jogo de ida por 1 a 0.

Os principais jogadores do Palmeiras nem viajaram para Araraquara. No elenco, a novidade fica por conta de Lenny, relacionado após oito meses. "O Felipão me deu força para eu jogar logo", disse o atacante, que rompeu o ligamento do joelho em março, justamente em uma partida na Fonte Luminosa.

Apesar de muitos jovens, não falta experiência no grupo. O zagueiro Fabrício, de 20 anos, já ganhou consideráveis elogios do treinador por sua liderança em campo. "Fico mais à vontade com os garotos", falou, lembrando da liberdade que tem para cobrar os atletas mais novos.

Felipão não nega que tem feito experiências na reta final do Brasileiro. Sua ideia é analisar jogadores que podem ou não permanecer no clube em 2011. E dar chance para o pessoal da base. "Nós vamos subir mais uns três jovens", prometeu. "Temos de olhar. Se levar de 3, 4 gols, não faz diferença. Gostei muito do Jean, um meia de habilidade. Tem personalidade, mas não é jogador para ser a solução já."

Nas duas últimas rodadas, o Palmeiras perdeu do Atlético-GO e ganhou do Guarani. Mas alguns titulares chegaram a atuar com os reservas e hoje isso não vai ocorrer.

Aposta. Amigo de Dorival Júnior, Felipão aposta na permanência do Atlético na Série A. "Não tenho dúvida em dizer: ele está fora do rebaixamento e ainda vai chegar à Sul-Americana."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.