Palmeiras busca paz na Arena da Baixada

Time precisa dar a volta por cima após queda na Taça Libertadores

Evandro Fadel, O Estadao de S.Paulo

20 de junho de 2009 | 00h00

Três dias depois da desclassificação na Taça Libertadores, com um empate por 0 a 0 com o Nacional, em Montevidéu, o Palmeiras volta a campo hoje para enfrentar o Atlético-PR, na Arena da Baixada, às 16h10, com o discurso de que somente o triunfo poderá trazer a paz necessária para a continuidade do trabalho. "Se mantiver o espírito que tivemos contra o Cruzeiro (3 a 1) podemos conseguir a vitória, apaziguar tudo e ter mais tranquilidade", afirmou o zagueiro Marcão.Apesar de afirmar que as atenções estão todas voltadas para a partida de hoje, os jogadores não conseguem esquecer o que ocorreu em Montevidéu e o discurso é o mesmo: o time jogou bem e foi injustiçado pelo resultado. Quase não há uma resposta em que esse tema não retorne. "Mas temos de esquecer essa Libertadores, porque não volta mais", registrou Marcão. "Temos que assimilar o mais rápido possível essa desclassificação para não interferir no Brasileiro, pois temos que buscar novamente a vaga."Diego Souza não escondeu que está muito chateado com a desclassificação no torneio continental. "Sabíamos que tínhamos condições de passar pelo Nacional", lamentou. "Nós saímos com dignidade de uma competição e estamos em terceiro lugar na outra (atrás de Atlético-MG e Inter)."O meia adianta que o Palmeiras jogará nos contra-ataques, para buscar a vitória e diminuir a pressão que caiu sobre o elenco. "Fora de casa temos de jogar fechados, procurando explorar o erro dos adversários."Sem poder contar com Danilo, que está fora do jogo por causa de uma cláusula no seu contrato (o Atlético-PR tem participação nos seus direitos federativos), o técnico Vanderlei Luxemburgo deve colocar o volante Souza e deixar a equipe com dois zagueiros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.