Palmeiras: classificação heroica

Com 10 em campo, time marca nos minutos finais, vence o Colo Colo por 1 a 0, no Chile, e avança na competição

Daniel Akstein Batista, O Estadao de S.Paulo

30 de abril de 2009 | 00h00

Se o Palmeiras aprendeu a jogar a Libertadores durante a competição, o teste de ontem mostrou que o time está pronto para o que vier. Com um a menos, foi buscar uma vitória heroica por 1 a 0 sobre o Colo Colo, em Santiago, para se garantir nas oitavas de final. O triunfo veio com um golaço de Cleiton Xavier, que acertou um chute no ângulo aos 42 do segundo tempo. "Foi uma precisão única, questão de segundo", vibrou o herói palmeirense. "O resultado foi justo, as melhores oportunidades foram nossas."O péssimo início na Libertadores foi apagado por uma classificação emocionante, que mostrou o amadurecimento de uma equipe que chegou a estar desacreditada. "O nosso time aprendeu a ter garra dentro da competição", vibrou o goleiro Marcos, que prefere manter o time desacreditado. "A gente gosta de ser azarão, bons são os outros. O nosso time está correndo por fora."A eufórica vibração do técnico Vanderlei Luxemburgo com o gol e o apito final foi o retrato da vitória. Sua estratégia para a partida era clara: segurar o primeiro tempo sem levar gol e arriscar no segundo. A tática deu certo, mas o ingrediente de emoção poderia ter sido evitado. A equipe dominou o primeiro tempo e perdeu oportunidades incríveis. No segundo tempo, o time caiu de produção e conseguiu o gol quando começava a perder o fôlego."A equipe se entregou, foi obediente taticamente e teve força de vontade", disse o volante Pierre. A surpresa no time titular foi a entrada do jovem meia Souza, 21 anos, com atuação discreta. Wendel também teve sua chance. Ele se mostrou boa escolha. Mesmo com a boa atuação, foi subsituído por Willians, cuja entrada já era prevista para o segundo tempo. Com muita marcação, o Palmeiras conseguiu evitar a pressão dos donos da casa no primeiro tempo. Aos 15, a equipe do Chile perdeu por lesão o meia Torres, camisa 10 e principal criador de jogadas da equipe.Acostumada a ver o time no ataque, a torcida chilena chegou a vaiar seus jogadores pela falta de ousadia em alguns lances. Sem o domínio esperado, a impaciência da arquibancada se refletiu em campo. O Palmeiras aproveitou o nervosismo para se arriscar na frente. Criou as melhores chances da primeira etapa e poderia ter garantido o placar ali. Keirrison teve duas grandes oportunidades e acertou a trave em ambas. O Colo Colo só avançava na base do lançamento de longa distância e teve apenas duas oportunidades, sem grande perigo para o goleiro Marcos. Aos 15, uma alteração forçada obrigou o Palmeiras a atacar mais. O volante Pierre, machucado, deu lugar ao meia Evandro. O time perdeu bastante em marcação, mas ganhou qualidade de passe no meio de campo. O drama aumentou aos 18, quando Marcão foi expulso após levar o segundo amarelo. O grito da torcida chilena se tornou mais forte, e o time local se empolgou. Mas, na raça, o Palmeiras conseguiu o gol, com um chute espetacular de Cleiton Xavier, nos minutos finais. O Palmeiras ficou em 2º no Grupo 1, com 10 pontos, atrás do Sport (13), que ontem fez 3 a 2 na LDU, em Quito.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.