Palmeiras dá sorte e continua invicto

Time busca empate com o Guará, 1 a 1, mas ainda não garante a vaga

Fábio Hecico, O Estadao de S.Paulo

21 de março de 2009 | 00h00

O palmeirense terá de esperar pelo menos até terça-feira para comemorar, antecipadamente, uma vaga nas semifinais do Paulista. Mas segue firme com o sonho de comemorar um título de forma invicta. Ontem à noite, no Vale do Paraíba, o time jogou mal, passou sufoco em certos momentos, mas empatou com o Guaratinguetá, por 1 a 1, e segue soberano na liderança da competição, agora com 37 pontos.Ganhar do Bragantino, no Palestra Itália, às 19h30 de terça-feira, confirma a presença do Palmeiras na próxima fase.Com sua dupla de ataque titular, Keirrison e Willians, suspensa, o técnico Vanderlei Luxemburgo apostava no queridinho Lenny e no paraguaio Ortigoza. "Espero ver um grande jogo. O Lenny já vem jogando há algum tempo e o Ortigoza se assemelha ao Keirrison", acreditava o treinador, antes de a bola rolar. Do outro lado, Márcio Araújo não escondia seu temor em encarar o líder. "Estamos vindo de um resultado negativo e temos de encarar o Palmeiras. Um pouco de cautela não fará nenhum mal", afirmou.Discursos opostos, como o futebol dos times na primeira fase. Parecia que o Guaratinguetá era o time grande. Desde o apito inicial, a equipe da casa tentou mostrar aquele futebol que lhe garantiu o título do interior em 2007 e vaga nas semifinais em 2008. Nenê e Wellington Amorim davam enorme trabalho à zaga verde, sem Edmilson e com Marcão na reserva.Na frente, Lenny levava Luxemburgo à loucura ao não acertar nenhum lance. Ortigoza se virava como podia. Foram duas finalizações do paraguaio, com certo perigo, em 45 minutos. Do outro lado, saiu justamente da dupla ofensiva o grande lance da primeira etapa. Nenê arrancou pela esquerda e cruzou, Bruno não cortou, a zaga só olhou e Wellington Amorim balançou as redes: 1 a 0."Foi uma jogada normal, mais um cruzamento", afirmou o capitão Danilo, irritado ao ser questionado se a defesa verde falhou. "Precisamos melhorar o posicionamento, pois não podemos tomar esses gols bobos", assumiu Maurício Ramos.Mas o Palmeiras não é líder por acaso. Com as entradas de Daniel e Marquinhos, Luxemburgo melhorou a equipe. Equilibrou o jogo e, em 15 minutos, já havia produzido mais do que no primeiro tempo. Diego Souza falhou aos 7, mas se recuperou aos 10 e converteu o pênalti sofrido por Ortigoza: 1 a 1 de bom tamanho pelas chances desperdiçadas pelo adversário.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.