Palmeiras de olho no clássico e no Nacional

Luxemburgo dá a entender que vai usar todos titulares contra o São Paulo, amanhã, mas sem perder de vista o duelo de quinta-feira pela Libertadores

Daniel Akstein Batista, O Estadao de S.Paulo

23 de maio de 2009 | 00h00

Vanderlei Luxemburgo não quer o Palmeiras pensando apenas no confronto de quinta-feira, contra o uruguaio Nacional, pela Taça Libertadores. Também evita que os jogadores canalizem suas forças só no jogo de amanhã, contra o São Paulo, pelo Campeonato Brasileiro. Com todo o elenco à disposição, o treinador não vai poupar ninguém no clássico, até como uma forma de "esquenta" para o duelo pela competição continental."Não posso separar as competições, tenho de juntar as duas", discursou. "Eles (jogadores) têm de saber que todos são jogos importantes", disse o técnico. "Temos de jogar o Brasileiro pensando na Libertadores."Com essa filosofia, Luxemburgo tenta fazer com que um eventual resultado negativo amanhã não influencie no jogo de quinta. Ontem, fechou o treino da tarde em Atibaia e fez mistério quanto à escalação. Pode entrar no esquema 3-5-2, com dois volantes (Souza e Jumar) e Diego Souza adiantado no ataque, para formar dupla com Keirrison. "Testei duas formações", despistou o treinador.Aproveitou a semana sem jogos para treinar o elenco com mais intensidade. Os jogadores sofreram nas mãos do preparador físico Antônio Mello e trabalharam bastante as partes tática e técnica. "Com a semana livre, não tem por que não jogar domingo", disse Luxemburgo, dando a entender que colocará todos os titulares em campo - os desfalques são Pierre, suspenso, e Edmilson e Willians, recuperando-se de contusão.O meia Diego Souza afirmou anteontem que o momento palmeirense é melhor que o do São Paulo. Luxemburgo pede cuidado ao grupo, e lembra que no ano passado o rival também iniciou o Brasileiro de forma ruim. "(O São Paulo) cresceu e depois foi campeão. Eles podem estar jogando mal, mas para jogar bem não demora muito."POUCA PROCURAOs torcedores não parecem estar muito empolgados com o clássico. Até ontem, foram vendidos apenas 13 mil dos 27.640 ingressos colocados à disposição. A expectativa, no entanto, é de Palestra Itália lotado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.