Palmeiras desafia Flu e a pressão

O Palmeiras entra no Maracanã, às 16 horas, sob o peso de quem quer ser campeão brasileiro. Sem quatro titulares, contra um Fluminense que briga para sair da zona de rebaixamento, pressionado pelas vitórias de Grêmio, São Paulo e Cruzeiro, anteontem, e ameaçado de ficar fora do G4 após 14 rodadas. Pressão não falta ao time alviverde na briga pelo título. Acompanhe online o confrontoEsse clima, porém, era imperceptível no treino de ontem. Vanderlei Luxemburgo optou por um "rachão" descontraído - em um time, Marcos era o atacante e Alex Mineiro, o zagueiro - para amenizar a 5ª colocação provisória que, segundo o técnico, não incomoda. "Os resultados da rodada estão dentro do contexto da competição, ganha a equipe que conseguir vencer fora de casa."Apontado pelos jogadores como o responsável por "sacudir" o time para a reação no clássico contra o São Paulo, o treinador faz o oposto desta vez. Após duas partidas nervosas e sem vitória, Luxemburgo passou tranqüilidade ao elenco e evitou polêmicas. "Será um jogo complicado, mas a situação no campeonato não muda o emocional dos jogadores."O lateral Élder Granja, machucado, juntou-se ontem à lista de desfalques da equipe, que já tinha os suspensos Diego Souza, Roque Júnior e Léo Lima. A boa notícia é a volta de Martinez, que treinou normalmente.A favor dos paulistas está o histórico dos confrontos: há 14 anos não perde para o Tricolor no Rio. No primeiro turno, o Palmeiras venceu em casa por 3 a 1, com dois gols de Kléber. O atacante Washington, vice-artilheiro da competição com 18 gols, marcou para os visitantes. "É um grande jogador, nos preocupa, mas não é só ele", disse Luxemburgo. O treinador palmeirense também mostrou preocupação com o calor carioca, prevendo um clima abafado no horário do confronto.No duelo de hoje, Fluminense e Palmeiras têm a desvantagem de jogar antes da partida entre Atlético-PR e Cruzeiro, que se enfrentam às 18h20. Com uma derrota, os cariocas caem uma posição em caso de vitória dos paranaenses. Já o Palmeiras tem de vencer e torcer por um tropeço dos mineiros para voltar à vice-liderança da competição. Empatando, o time alviverde ficará à frente do São Paulo, por causa do número de vitórias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.