Ernesto Rodrigues/ Estadão
Ernesto Rodrigues/ Estadão

Palmeiras encara Corinthians como um teste de fogo

Satisfeito com o grupo em busca de espaço, Kleina vê no clássico um termômetro para o seu novo time

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

16 de fevereiro de 2013 | 02h05

ITU - O clássico contra o Corinthians, neste domingo, 17, é encarado como um teste de fogo para o Palmeiras, que tenta se reerguer apostando em jogadores que vivem incertezas semelhantes às do clube. A ideia é que esses atletas, em busca da reafirmação, consigam juntos fazer um abalado Palmeiras voltar ao topo do País. Eles deram o primeiro passo com a vitória (2 a 1) diante do Sporting Cristal, na quinta-feira, na estreia na Copa Libertadores.

Na sexta-feira, o presidente Paulo Nobre fez questão de comparecer em Itu, onde o time se concentrou, para conversar individualmente com os líderes do grupo (Fernando Prass, Henrique, Valdivia e Bruno) e depois com todo o elenco no centro do gramado. O gesto de Nobre: passar confiança aos jogadores.

Este será o primeiro clássico deste novo Palmeiras. Sem caixa para contratar medalhões, a diretoria correu atrás de atletas que já tiveram seus momentos de destaque, mas hoje não passam de incógnitas. "São grandes jogadores que já sabemos do que são capazes e que por diversos motivos perderam espaço. Eles chegam com vontade de vencer e isso faz com que eu acredite que teremos uma equipe forte", disse Gilson Keina.

Dentro dessa filosofia, mais dois reforços foram apresentados ontem: o volante Léo Gago, 29 anos, e o atacante Leandro, 19. Gago surgiu com destaque no Avaí. Negociado com o Vasco, não teve sucesso e foi para o Coritiba. No Paraná, voltou a aparecer e se transferiu para o Grêmio, onde começou bem mas perdeu espaço. "Cada gol aqui parece que vale por dois. Vou procurar fazer o meu papel para o meu nome ser exaltado", disse.

Leandro apareceu como uma das maiores revelações do Grêmio dos últimos anos, mas foi sendo deixado de lado. "Aqui eu terei mais espaço e poderei mostrar realmente quem sou eu", disse o confiante atacante. Leandro e Léo Gago chegam por empréstimo de uma temporada.

Outros dois que seguem a mesma toada são Weldinho e Marcelo Oliveira. Diante do Corinthians terão motivos de sobra para jogar ainda mais motivados. Os dois deixaram o Alvinegro pelas portas dos fundos. Weldinho estava no rival há duas semanas. O lateral-direito, que apareceu no Paulista em 2011, foi contratado pelo Corinthians e nunca conseguiu se firmar. Marcelo Oliveira foi formado no Alvinegro. Uma lesão no joelho esquerdo o fez perder espaço e após passagens por Atlético-PR e Cruzeiro chega ao Palmeiras em busca da reafirmação.

SEM VAIDADE

Ronny e Kleber também precisam dar a volta por cima. O primeiro apareceu com destaque no Figueirense e perdeu espaço por indisciplina. Kleber rendeu bem em Portugal e chegou a ser convocado para a seleção brasileira - acabou cortado por lesão. Charles brilhou no Cruzeiro até sofrer lesão no joelho. Depois, rodou por vários clubes, sem sucesso. O problema de Vilson também foi disciplinar - era titular no Grêmio até brigar com Luxemburgo.

Resta agora Kleina juntar este punhado de abnegados e fazer um time que honre o Palmeiras.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.