Palmeiras faz 5 a 1 no Central e vai às oitavas

Time de Vanderlei Luxemburgo vence bem com gols de Alex Mineiro (2), Kléber, Valdivia e Martinez, em Caruaru, e elimina o jogo de volta

Daniel Akstein Batista, O Estadao de S.Paulo

03 de abril de 2008 | 00h00

O Palmeiras venceu mais uma vez na temporada. Já são nove triunfos consecutivos, 13 partidas de invencibilidade. A vítima de ontem foi o Central, em Caruaru. O resultado de 5 a 1 classificou os paulistas para as oitavas-de-final da Copa do Brasil, eliminando o jogo de volta da segunda fase. O próximo adversário será Brasiliense ou Sport - os pernambucanos ganharam ontem por 2 a 1.Fazia tempo que o Palmeiras não passava por uma fase tão boa. Mesmo jogando num estádio com fraca iluminação e gramado ruim as coisas deram certo. Até mesmo quando o adversário é melhor em boa parte do jogo o resultado final é positivo. Os 5 a 1 foram ilusórios - os últimos três gols saíram nos 10 minutos finais.Méritos também para o técnico Vanderlei Luxemburgo, que mudou o ataque alviverde. Com a volta de Kléber (suspenso apenas no Campeonato Paulista), o treinador optou por Denilson ao invés de Alex Mineiro. E acertou, depois, em colocar Martinez e Alex Mineiro no segundo tempo - foram deles os três últimos gols da goleada.O Central surpreendeu o Palmeiras e partiu para cima no início da partida. Nada de atuar retrancado, de tentar segurar o empate para jogar a volta, no Palestra Itália, em São Paulo. Os donos da casa foram para o ataque e assustaram o goleiro Marcos. Toques de bola envolventes, chutes com perigo. Em sete minutos, três chances de gol - e na melhor delas o volante Pierre estava em cima da linha para salvar o tento nordestino.Aos poucos o Palmeiras entrou no ritmo de jogo. Ditou o ritmo. E abriu o marcador graças à rapidez do lateral-esquerdo Leandro, que aproveitou o contra-ataque, deu uma arrancada pela direita e chutou a bola na trave. Kléber, esperto, pegou o rebote para fazer 1 a 0. ''Dei uma disparada, aproveitei bem a velocidade, mas feliz foi o Kléber que fez o gol'', vibrou o lateral Leandro.O placar favorável deu uma tranqüilidade maior ao Palmeiras. E enganou-se quem achava que o Central iria se fechar. Nada disso. O time do agreste nordestino continuou buscando o gol, mas as finalizações - várias delas - esbarravam em Marcos ou na trave.Ir para o intervalo vencendo por 1 a 0 já seria bom para o Alviverde. Melhor ainda foi fazer o segundo. Após boa troca de passes, Élder Granja levantou a bola na cabeça de Valdivia, que não desperdiçou, aos 42.Precisando de ao menos um gol, o Central não poupou forças no segundo tempo. E valeu pela insistência. E pela desatenção adversária. William cobrou escanteio pela direita e a bola resvalou em Léo Lima antes de morrer dentro do gol, aos 11 minutos.O pouco conhecido time pernambucano deu mais trabalho ao Palmeiras na Copa do Brasil do que muitas equipes paulistas deram no Estadual. Mas o elenco de Luxemburgo esbanja confiança, sorte e competência. E chegou ao terceiro gol com Martinez, aos 31, numa bela cobrança de falta. Alex Mineiro ainda fez mais dois, de pênalti, aos 40, e aos 44.O confronto em Caruaru foi bem jogado. Chances criadas dos dois lados, qualquer um poderia ter saído com a vitória. Os méritos finais foram palmeirenses, mas é preciso destacar a força de vontade do Central.PELA LIDERANÇANo domingo, o time volta suas forças para o Estadual. Já classificado para as semifinais, enfrenta o Barueri, fora de casa, sonhando com a liderança - precisa vencer e torcer por um tropeço do Guaratinguetá contra o Ituano. Do jeito que as coisas andam, não é de se duvidar que tudo dará certo mais uma vez ao time alviverde.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.