Paulo Liebert/AE
Paulo Liebert/AE

Palmeiras já fala em briga pela taça

Animado com a vitória diante do Corinthians, Felipão garante que seu time entra no páreo se vencer o Botafogo hoje

Daniel Akstein Batista, O Estado de S.Paulo

31 de agosto de 2011 | 00h00

Nada como uma vitória num clássico para melhorar o ambiente. E, no caso do Palmeiras, nada como um triunfo sobre o Corinthians. Empolgado pela virada (2 a 1) que conseguiu no domingo, em Presidente Prudente, o time de Luiz Felipe Scolari tem um novo e complicado desafio hoje no Brasileiro. Com alguns desfalques importantes, encara o Botafogo (5º colocado, 34 pontos), às 21h50, no Engenhão.

Cinco pontos atrás do líder Corinthians, e a dois do adversário de hoje, a vitória no Rio valerá ao Palmeiras mais do que entrar na zona de classificação para a Libertadores do ano que vem. Os três pontos colocarão o time de volta à luta pelo título brasileiro.

"Se ganharmos do Botafogo, entramos na briga", apontou Felipão, com muito otimismo.

O treinador está satisfeito com sua equipe, que chegou a ficar seis jogos sem vencer. Na semana passada, o time não conseguiu a classificação na Sul-Americana, mas quebrou o jejum de vitórias ao fazer 3 a 1 no Vasco e arrancou elogios de Felipão.

No Rio, o treinador vai ser obrigado a mudar o time. Luan (suspenso), Valdivia (com a seleção chilena) e Maikon Leite (machucado) são os desfalques. O goleiro Marcos será poupado e dará chance a Deola. Após cumprir suspensão no clássico, Cicinho retoma seu lugar na lateral.

Felipão faz mistérios, mas deve armar um time com três volantes: Chico, Márcio Araújo e Marcos Assunção. Patrik e Tinga brigam pela vaga de Valdivia. Na frente, Fernandão está garantido ao lado de Kleber.

Rostos novos. O Palmeiras apresentou ontem seus dois novos atacantes. Um deles nem precisava ter vestido a camisa alviverde oficialmente - o cartão de visitas já havia sido mostrado. "Eu já me apresentei no domingo. Quer apresentação melhor do que essa?", brincou Fernandão, protagonista da vitória sobre o Corinthians.

O ex-jogador do Guarani será titular hoje, no seu 8.º dia no clube. Ele realizou exames médicos na quinta-feira, fez o primeiro treino na sexta e no domingo anotou um golaço no Corinthians. "Quando eu entro num jogo, só penso em fazer gol. E espero seguir surpreendendo."

O primeiro clube de Fernandão foi o América do Rio, há apenas cinco anos. Antes disso, passou por outras profissões.

"Casei cedo, com 17 anos. E minha esposa ajudava minha sogra a vender tapetes, e eu ajudava também. Depois fui bombeiro hidráulico, saía de casa às 6 horas e voltava às 11 da noite. Mas era uma época gostosa", lembrou. "Aí fiz uma "pelada", um empresário me viu e fiz um teste."

Ricardo Bueno também foi apresentado ontem. O atacante ficará no banco hoje. "Estou há uns três meses sem jogar. Estava afastado do time (Atlético-MG), mas treinando fisicamente. É claro que vai me faltar ritmo de jogo, mas estou à disposição."

Botafogo otimista. Caio Júnior não terá o zagueiro Antônio Carlos. Gustavo entra o seu lugar. A expectativa é por uma vitória para colar no líder Corinthians.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.