Palmeiras já levanta R$ 14 mi para ter Kléber

Grupo de empresários ajuda clube a tentar manter o atacante em 2009

Daniel Akstein Batista, O Estadao de S.Paulo

18 de dezembro de 2008 | 00h00

A novela Kléber está perto de um final feliz para o palmeirense. O clube paulista já levantou cerca de U$S 6 milhões (R$ 14 milhões) dos US$ 8 milhões que o Dínamo de Kiev pede para liberar o jogador. "Vamos tentar algum novo investidor, pois US$ 8 milhões é muita coisa", disse Genaro Marino, diretor de futebol. Hoje nova reunião deve definir o futuro do atacante.A transação se arrasta há semanas. Com a crise financeira mundial e a alta do dólar, o Palmeiras correu atrás de investidores (quatro) para ajudá-lo a manter Kléber no Palestra Itália. O clube já havia dito que não possuía a quantia total e a Traffic, parceira que ajudou nas negociações em 2008, não teve interesse em investir no atleta - a proposta da empresa é apostar em jogadores mais jovens, como os já contratados Keirrison, Marquinhos e Cleiton Xavier, que podem dar lucro no futuro.O atacante de 25 anos foi um dos destaques do Palmeiras na temporada. Não marcou tantos gols - 12 em 47 jogos -, mas foi fundamental na conquista do Campeonato Paulista e da vaga para a Libertadores de 2009.O Palmeiras nunca escondeu o interesse em renovar com Kléber, mas passou as últimas semanas sofrendo com propostas rivais. Anteontem, o empresário do jogador, Giuseppe Dioguardi, afirmou que o Corinthians entrara na briga. Ontem, declarou à Rádio Jovem Pan que o Palmeiras havia conseguido parceria para fechar o negócio. "Eles (diretores do Palmeiras) disseram que já arrumaram os investidores e que já têm o dinheiro." Se tudo correr como querem os palmeirenses, o novo contrato será de quatro anos e o clube deve arcar com metade do valor da compra.A situação de Alex Mineiro é mais difícil. Seu empresário, Marcelo Robalinho, disse que o Palmeiras não tem mais prioridade na negociação - o Santos está na briga. Os zagueiros Danilo, do Atlético-PR, e o argentino Nicolás Spolli, do Newell?s Old Boys, estão na mira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.