Palmeiras joga contra descrédito no Palestra

Depois de uma semana dedicada apenas aos treinos, Antônio Carlos exige melhor exibição, [br]hoje, contra o Atlético-PR

Daniel Akstein Batista, O Estado de S.Paulo

15 de abril de 2010 | 00h00

Antônio Carlos finalmente teve uma semana livre para treinar. Deu coletivos, trabalhos táticos e técnicos e inovou na formação do Palmeiras. Por tudo isso, exige hoje uma vitória contra o Atlético-PR, às 19h30, no Palestra Itália, no jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil.

A última partida alviverde foi há oito dias, na melancólica despedida do Campeonato Paulista: derrota por 3 a 1 para o Paulista, em Jundiaí. Logo em seguida, ainda no vestiário do estádio Jayme Cintra, cobrou o elenco pelo mau resultado e os diversos tropeços anteriores.

Os dias na Academia de Futebol têm sido de bastante conversa entre jogadores e treinador. Desde que chegou, Antônio Carlos reclamava que não tinha tempo para treinar. Agora, sabe que não poderá contar com essa desculpa caso o resultado positivo não apareça. "Temos de manter a tranquilidade nos momentos difíceis. Está na hora de dar uma virada", disse. "Conversamos, demos bronca e explicamos aos atletas o que está acontecendo. Tudo é válido para sair desta situação. E, pelo tempo que tivemos para trabalhar, a torcida pode esperar uma boa atuação."

Teoricamente, a tabela da Copa do Brasil não está tão difícil para o Palmeiras. Se passar pelo Atlético, o adversário nas quartas de final sairá de Atlético-GO ou Santa Cruz. Dirigentes fazem questão de lembrar Antônio Carlos que este é o caminho mais fácil para voltar à Taça Libertadores em 2011. E fazem pressão pela vaga.

O técnico não esconde que a fase alviverde está difícil. E avisou que o time deve atuar com cautela, como Diego Souza já havia avisado. "Vitória por 1 a 0 dentro de casa é um excelente resultado", contou, explicando que um dos principais objetivos na noite é evitar levar gol. "E 2 a 0 já é goleada."

Diego, aliás, é uma das esperanças de Antônio Carlos para o confronto. "Ele sabe da sua importância aqui no Palmeiras. É um dos principais jogadores e que num dia inspirado pode decidir", apostou, confiante num diferente momento para o Palmeiras após a partida da volta, quarta-feira. "Se passarmos pelo Atlético, tudo o que aconteceu será uma página virada."

Decisão. O Atlético-PR vive uma das semanas mais importantes do ano. Além da partida de hoje contra o Palmeiras, terá o clássico contra o Coritiba no domingo. Uma derrota dá o título paranaense ao adversário. "É uma semana importante e a gente está trabalhando para que possa começar bem já neste jogo contra o Palmeiras", afirmou o meia Paulo Baier, que defendeu o time alviverde em 2006. / COLABOROU EVANDRO FADEL

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.