Palmeiras joga para salvar semestre

No último duelo em casa pela fase classificatória, tem de vencer a LDU para manter chances de classificação

Fábio Hecico, O Estadao de S.Paulo

21 de abril de 2009 | 00h00

Marcos já passou por tudo na carreira. Triunfos, títulos, derrotas, contusões, pressão... Com sua experiência, o goleiro virou o maior motivador do jovem elenco para a "volta por cima" na Libertadores." Diante da LDU, às 20h15, no Palestra Itália, um resultado que não seja a vitória, deixará a equipe com remotas chances de classificação à próxima fase e significaria o fim do semestre. "Uma injustiça. Nosso time não merece duas eliminações seguidas. Mas aprendi que o futebol não é justo", enfatizou. "Já vi grandes seleções não ganharem nada e outras, não tão boas assim, conquistarem o título", comparou.Com 4 pontos, o time faz o último jogo em casa e, na semana que vem, definiria seu futuro no Chile, diante do Colo Colo. "Não podemos falar em derrota, temos é de pensar de outra forma. Se ganharmos, ficaremos bem na luta por uma vaga e chegaremos empolgados para os mata-matas", projeta, usando o Santos, algoz no Estadual - entrou em cima da hora e agora está na decisão - , como parâmetro.Ontem, Marcos viveu um dia atípico de treinos. Batia bola ao lado dos reservas, enquanto os colombianos do América de Cali - encaram o São Paulo, amanhã - trabalhavam ao lado. Terminaram as atividades e fizeram questão de, quase todos, tirarem fotos ao lado do pentacampeão mundial. "É porque não são do nosso grupo. Pode esperar, a LDU virá para nos dar enorme trabalho." O time equatoriano luta para não ser o segundo campeão da América a ser eliminado na primeira fase na temporada seguinte a do título. O primeiro foi o Inter.Ciente disso, todos no Alviverde pregam atenção. "Temos de não deixar a eliminação no Estadual nos afetar. Agora, é encará-los com o mesmo espírito aguerrido, de não deixar de lutar nunca, apresentado na Ilha do Retiro diante do Sport", receitou o volante Pierre. "É lutar bastante, ganhar e depois recarregar as baterias para a batalha com o Colo Colo."Pierre é um dos jogadores em alta com o torcedor. Sabedor da sua importância e respeito, pediu para os palmeirenses lotarem o Palestra. "As vaias, nesse momento, só atrapalham." Keirrison, Fabinho Capixaba, Evandro, são jogadores em rota de colisão com o torcedor. "Estou tranquilo. A torcida cobra de quem tem valor e todos sabem do meu potencial", disse Keirrison, garantindo não se abater com cobranças. "É bom passar por momentos complicados. A gente aprende a lutar pelas coisas. Tenho essa maturidade."Keirrison vem sofrendo com dores no joelho direito. Poderia usá-las como desculpa para ficar de fora. "É o jogo da nossa vida, darei o máximo para apagar a imagem que ficou no sábado."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.