Palmeiras luta pela sobrevivência

Somente a vitória sobre o Colo Colo, hoje, no Chile, levará o time de Vanderlei Luxemburgo às oitavas de final

Daniel Akstein Batista, SANTIAGO, O Estadao de S.Paulo

29 de abril de 2009 | 00h00

Não fosse a derrota para o Botafogo na última rodada do Brasileiro de 2008 e a situação do Palmeiras na Libertadores, hoje,poderia ser parecida com a de São Paulo, Grêmio e o Cruzeiro, que conquistaram a vaga para as oitavas de final com antecedência. O revés, porém, fez o time cair no "grupo da morte", ao lado dos fortes Colo Colo, Sport e LDU. Agora só um resultado garante a classificação: tem de vencer o Colo Colo, a partir das 21h50, em Santiago. Acesse e acompanhe online o jogo do Palmeiras a partir das 21h50 A desclassificação precoce complicará o trabalho de Vanderlei Luxemburgo. A pressão por sua saída aumentará, embora o presidente Luiz Gonzaga Belluzzo tenha avisado que manterá o treinador até o término do contrato, em dezembro. Ele teria, então, a obrigação de conquistar o Brasileiro, competição que o próprio técnico disse ser a prioridade no ano. "A pressão já começou, mas nada disso me assusta", garante Luxemburgo. "Quero terminar a temporada no Palmeiras e penso em uma renovação."O elenco treina há seis dias. Não teve folga no fim de semana. O auxiliar Lopes Júnior e o gerente de futebol, Toninho Cecílio, viram o jogo do Colo Colo pelo Campeonato Chileno, domingo, e passaram relatório para Luxemburgo. Todos sabem que uma das principais armas do rival é o atacante Lucas Barrios. Os jogadores realizaram ontem à tarde um leve treino no Estádio Monumental, palco do jogo. Todos animados, sorridentes, alheios à pressão.Luxemburgo esconde a escalação, mas dá dicas de que vai segurar o time na defesa. "O importante é passar o primeiro tempo em branco", diz, imaginando um Colo Colo ofensivo. Assim como os torcedores, o treinador não esquece daquele jogo com o Botafogo e usa o tropeço como justificativa para ter reformulado o elenco em 2009. "Como poderia manter uma base que quase me tirou da competição mais importante?"

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.