Palmeiras mira Burkina Fasso na estreia

Kleina se inspira na seleção vice-campeã da Copa Africana paraembalar Alviverde no torneio sul-americano

DANIEL BATISTA, O Estado de S.Paulo

14 de fevereiro de 2013 | 02h00

SÃO PAULO - O Palmeiras nunca estreou em uma Copa Libertadores tão desacreditado quanto nesta temporada. O time enfrenta o Sporting Cristal hoje, no Pacaembu, tendo como adversário, além do time peruano, a desconfiança da torcida, da imprensa e até de seus dirigentes. Contra o descrédito geral, Gilson Kleina recorre ao feito de Burkina Fasso, vice-campeã da Copa Africana de Nações, para elevar o Palmeiras.

O motivo da desesperança não é novidade. O time há dois meses foi rebaixado para a Série B do Brasileiro e, apesar da contratação de oito jogadores - sendo que sete deles podem atuar hoje - , o sentimento é que o drama de 2012 permanece, já que o Alviverde não tem feito uma elogiável campanha no Paulista.

Além disso, o ano começou com surpresas e notícias repetidas que incomodam os torcedores. Ídolo maior e principal esperança da equipe, Barcos deixou o clube. Valdivia, outro que ainda é idolatrado pelos palmeirenses, mais uma vez se machucou e não estará em campo hoje.

Mesmo assim, ninguém aceita baixar a guarda e se render antes mesmo de lutar. Gilson Kleina tem até um exemplo de superação para motivar os atletas.

"Aposto todas as minhas fichas no Palmeiras. Acompanhei a Copa Africana e vi que Burkina Fasso chegou sem esperança e foi para a final. Acredito muito no querer do atleta. O Palmeiras talvez não tenha convencimento de jogo, mas jogamos por resultado. Não vamos deixar de correr e lutar", avisou.

Em cima dessa proposta, Kleina resolveu criar um clima de decisão para os atletas. A delegação viajou na noite de terça-feira para Itu e se refugiou em um resort para se concentrar totalmente neste jogo de hoje e no clássico contra o Corinthians, domingo.

"Estão chegando os reforços e temos alguns jogadores no departamento médico. Por isso, nada melhor do que centralizar num lugar (em Itu) só, para nos conhecermos melhor e quem está chegando entender mais rápido nossa filosofia", disse Kleina.

Mudança geral. O treinador resolveu mudar radicalmente o time para a estreia. O treinador vai apostar em um grupo mais experiente e com uma formação tática sem atacantes de referência, mas sem perder o poder de fogo. Bom lembrar que o técnico só teria os jovens Caio e Vinícius e o meia Ronny, que poderia atuar improvisado no setor, para escalar a linha de frente.

Em vez do tradicional 4-4-2 ou o 4-3-3, utilizado contra São Bernardo e XV de Piracicaba, Kleina vai apostar no 4-5-1. Vinícius será o único atacante, mas cairá mais pelas pontas, o que faz com que o time não tenha ninguém dentro da área como referência.

Assim, três reforços vão estrear hoje. Weldinho, apresentado na segunda-feira, ganhou a disputa contra Ayrton e começa na lateral-direita. O volante Marcelo Oliveira, embora tenha dito que gostaria de se manter na posição, será improvisado na lateral-esquerda. E Vilson. cotado para ser titular ao lado de Henrique na zaga, vai atuar como volante.

No Sporting Cristal, o técnico Roberto Mosquera promete jogar n o ataque. "Não vamos ficar na retranca. Vamos jogar por um bom resultado no Brasil", avisa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.