Ernesto Rodrigues/AE
Ernesto Rodrigues/AE

Palmeiras protesta contra a arbitragem do clássico

Treinador e dirigentes do clube acusam Seneme de prejudicar o time ao marcar pênalti de Cicinho em Bruno Cortez

Bruno Deiro e Daniel Akstein Batista - Enviados especiais, O Estado de S.Paulo

27 de fevereiro de 2012 | 03h02

PRESIDENTE PRUDENTE - A frustração do Palmeiras após desperdiçar a vitória no clássico se voltou contra a arbitragem. Irritado com o pênalti de Cicinho em Cortez, marcado por Wilson Luiz Seneme, Luiz Felipe Scolari resolveu fugir da entrevista coletiva após o jogo, até para não correr o risco de falar mal do juiz e tomar uma suspensão depois. Emerson Leão, por seu lado, refutou qualquer favorecimento ao São Paulo e apontou violência dos rivais: segundo o são-paulino, até três atletas do Alviverde deveriam ter sido expulsos.

Com Felipão longe dos microfones, coube a César Sampaio, diretor de futebol, reclamar do trio de arbitragem. "Não é só o Felipão que está bravo, todos nós", disparou o dirigente. "Na verdade só queremos que os critérios possam ser usados da mesma forma para os dois lados." Hoje, Sampaio vai conversar com o coronel Marinho, chefe da arbitragem na Federação Paulista, para protestar contra Seneme.

Sampaio exemplificou sua reclamação ao dizer que o lance de Cicinho foi bem parecido com um outro no jogo. "No gol do Fernandinho, ele driblou o Assunção e o escorou com a mão", disse. "O Cicinho fez o mesmo no Cortez."

Uma das reclamações do Palmeiras, e não apenas no clássico de ontem, é com o alto número de pênaltis marcados contra o time. "Nós somos uma das equipes que mais cometem pênaltis. Ou que os árbitros marcam", desabafou Sampaio. "E o que menos apitam a nosso favor."

Na sexta-feira, o clube divulgou uma lista na Academia de Futebol mostrando justamente esse fato. "Entre os quatro clubes grandes, o Palmeiras é o clube que mais foi penalizado. Entre os 20 times que disputam o Paulistão, o Palmeiras também está entre o que mais tiveram pênaltis contra", estava escrito no comunicado.

Sampaio afirmou que o Palmeiras deve entrar com uma representação na arbitragem contra a atuação de Seneme. "Vamos analisar ainda, temos vídeos que confirmam isso (que estão prejudicando o time)."

Excesso de violência. Emerson Leão não se conformou com a acusação dos palmeirenses e retribuiu apontando outras falhas do juiz, segundo sua visão. "O Felipão diz que o Palmeiras foi desfavorecido. Então, deveria ter sido favorecido? Não tem de favorecer ninguém. Se é para falar do árbitro, é que teria de ter expulso três jogadores do Palmeiras", afirmou Leão.

O treinador disse que foi surpreendido pela atuação mais branda de Seneme "Achei que ele iria expulsar vários, até porque ele gosta de mostrar cartão vermelho, mas me surpreendeu. Temos é que parar de reclamar", disse ele.

Para Leão, não houve injustiça no empate de ontem.

"Foi um 3 a 3 para Presidente Prudente não esquecer. Infelizmente, os dois times não mereceram a vitória."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.