Palmeiras quer acabar com trauma de jogar em casa

Time vem de duas vitórias fora de casa e enfrenta Inter quarta-feira na Arena Barueri. Felipão quer sequência de boas atuações

Glauco de Pierri, O Estado de S.Paulo

27 de setembro de 2010 | 00h00

Além de vencer duas partidas consecutivas pela primeira vez neste Campeonato Brasileiro, o técnico Luiz Felipe Scolari comemorou a forma como o Palmeiras construiu a vitória sobre o Flamengo, sábado no Engenhão. Para o treinador, o time se comportou bem - e Felipão espera que seus jogadores mantenham o ritmo e a regularidade nas próximas partidas.

Na quarta-feira, o Palmeiras recebe o Internacional, na Arena Barueri. Depois, o terá agenda cheia em outubro. Serão oito jogos, começando com o clássico contra o Santos, na Vila, no próximo sábado e passando pelas duas partidas válidas pelas oitavas de final da Copa Sul-Americana contra o Universitário de Sucre. O primeiro jogo será dia 14, na Bolívia e a volta dia 20, no Pacaembu. "Contra o Flamengo, nosso time se comportou bem, soube tocar a bola e neutralizar as jogadas. Era natural que eles viessem para cima no segundo tempo, mas depois controlamos o jogo e fizemos o terceiro gol", afirmou Felipão.

O técnico elogiou também a atuação de Tinga e Valdivia, que tiveram participação direta na criação das jogadas ofensivas do time. "Falam que eu jogo com quatro volantes, mas o Tinga sabe atuar próximo da área, junto aos atacantes. Ele esteve em todos os lados do campo e foi muito bem. E foi o primeiro grande jogo do Valdivia. Ele se movimentou bem e buscou o jogo. É claro que ainda falta alguma coisa, mas é nítido que ele está melhorando e evoluindo."

O treinador do Verdão só fecha a cara quando questionado sobre as atuações do Palmeiras como mandante. "Não é possível fazer bons jogos fora e não repeti-los em casa. Temos condições de reagir e agora, jogando na Arena Barueri, vamos torcer para a sorte estar do nosso lado."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.