Palmeiras sabe que é hora de reagir

Na zona do rebaixamento, Alviverde vê retorno de titulares como trunfo para bater o Náutico esta tarde, em Barueri

DANIEL BATISTA, O Estado de S.Paulo

22 de julho de 2012 | 03h05

A volta de importantes titulares e a necessidade de deixar a zona de rebaixamento são os dois grandes motivadores para que o Palmeiras dê fim à ressaca do título da Copa do Brasil e volte a vencer no Brasileiro, após três rodadas sem um resultado positivo. O time alviverde enfrenta o Náutico, hoje, às 16h, na Arena Barueri, com a obrigação de conseguir um bom resultado.

Na próxima rodada, o time volta a jogar em São Paulo, contra o Bahia. Por isso, a intenção é conseguir aproveitar esses dois jogos como mandante contra adversários que não representam tanto perigo para conquistar seis pontos, respirar mais aliviado e chegar bem na disputa da Copa Sul-Americana. O time estreia dia 1.º de agosto, contra o Botafogo, também em Barueri.

Contra o Coritiba, na quinta-feira, 12 jogadores estavam fora, entre machucados e suspensos. Até o técnico Luiz Felipe Scolari virou desfalque, pois havia sido suspenso pelo STJD. O treinador retorna ao banco de reservas e os principais jogadores estão de volta. Henrique e Valdivia, que estavam suspensos, estão confirmados, assim como João Vitor e Maikon Leite.

Em relação aos machucados, Barcos e Marcos Assunção chegaram a ser dúvidas, mas Felipão decidiu mantê-los fora. O atacante se recupera de uma cirurgia no apêndice enquanto o volante, embora esteja recuperado de uma forte gripe, sofre com uma tendinite no joelho direito.

O comportamento diante de São Paulo e Coritiba, quando a equipe apostou muito mais na raça do que na técnica, agradou aos torcedores, mas não foi suficiente. Tanto que o time conseguiu apenas dois empates. O fato é que o retorno de Henrique também é um alívio para a marcação. Atuando como volante, ele tem ajudado bastante a proteção da defesa, e por ser um dos líderes do elenco, auxilia também na organização e ligação entre a defesa e o meio.

Sem Marcos Assunção, o treinador pode fortalecer a marcação com Márcio Araújo ou escalar Patrik e ter alguém para ajudar Valdivia na criação das jogadas.

A equipe, que até dias atrás teve que recorrer aos garotos da categoria de base para ter um banco de reservas completo, hoje pode se dar ao luxo de ter uma disputa por posição. Além das opções no meio, o ataque promete uma boa briga. Betinho tem sido o titular, mas Obina, que reestreou na quinta passada, também corre por fora e pode começar como titular hoje.

Como voltou de Curitiba na sexta à tarde, Felipão teve pouco tempo para treinar o time. Por isso, deve apostar muito mais na conversa para tentar triunfar diante dos pernambucanos.

No entanto, ninguém na equipe fala em disputa por posição. A necessidade de sair da parte de baixo da tabela preocupa mais do que ser titular ou não. "Temos de pensar que teremos o apoio da nossa torcida e precisamos pontuar na competição. Precisamos nos impor e voltar a vencer", disse Obina. Seu concorrente, Betinho, adota discurso parecido. "Vamos respeitar a equipe do Náutico, mas buscaremos a vitória para sair da zona de rebaixamento."

Os jogadores sabem que a cobrança hoje não é maior por parte da torcida por causa do título da Copa do Brasil e pela vontade demonstrada em campo. Entretanto, mais um tropeço em casa e as cobranças podem começar a aparecer com mais força.

"A situação não é confortável e precisamos nos reabilitar logo. Temos time para isso e estamos com um espírito que nos permite acreditar em dias melhores. Falta um pouco de sorte, também", analisou o goleiro Bruno.

Aposta em Kieza. Animado com a vitória por 3 a 0 sobre a Ponte, o Náutico aposta no atacante Kieza, que fez dois gols diante dos campineiros. O zagueiro Ronaldo Alves está suspenso, e o volante Souza pertence ao Palmeiras e não pode jogar esta tarde. Por outro lado, o lateral-esquerdo Lúcio, ex-Palmeiras, volta após suspensão. E o atacante Rico, ex-São Paulo, pode estrear hoje.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.