Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Palmeiras segura vaga com o coração

Time desfigurado com muitos desfalques sofre derrota no limite (3 a 1) para o Botafogo e garante classficação às oitavas

RAPHAEL RAMOS, O Estado de S.Paulo

23 de agosto de 2012 | 03h01

O Palmeiras tem se notabilizado nesta temporada por ser uma equipe que, na base da superação, consegue passar por situações adversas para surpreender seus adversários e críticos. Ontem, no Engenhão, contra o Botafogo, pela segunda fase da Copa Sul-Americana, foi assim.

Mesmo desfalcado de 12 jogadores (nove machucados e três não-inscritos na competição) e prejudicado mais uma vez pela arbitragem, o Alviverde avançou para as oitavas de final da competição e agora espera o vencedor de Guaraní, do Paraguai, e Millonarios, da Colômbia.

A classificação, como era de se esperar, veio somente depois de uma boa dose de sofrimento. O Palmeiras perdeu por 3 a 1 e só continua vivo na Sul-Americana porque venceu o primeiro jogo por 2 a 0, na Arena Barueri. Sobretudo depois que tomou o segundo gol, a equipe foi muito pressionada pelo Botafogo, levou uma bola na trave, sofreu mais um gol e se segurou como pôde. Ou seja, uma classificação bem ao estilo de Felipão.

Por causa da vitória na partida de ida e dos desfalques, o Palmeiras confiou na força da sua defesa ontem no Engenhão. O time não dava espaço para o contra-ataque e obrigava o Botafogo a trocar passes, o que não é o forte da equipe carioca. Patrik e Mazinho fechavam as laterais e não deixavam que o Alvinegro usassem as beiradas do campo como uma válvula de escape quando os homens de meio de campo estivessem sem opção de passe.

Sem força ofensiva, o Botafogo apostava em um erro na saída de bola que teimava em não sair, afinal o Palmeiras pouco atacava. Até Obina jogava atrás, dando chutões. Não à toa, a primeira chance de gol da equipe surgiu apenas aos 30 minutos do primeiro tempo, quando Barcos tentou pegar Jefferson desprevenido e arriscou de longe.

Com a defesa alviverde bem postada, o Botafogo só conseguiu chegar ao gol devido a um erro da arbitragem. Aos 34, Andrezinho tocou para Lucas na direita. Impedido, o lateral tirou de Bruno e deixou para Seedorf abriu o placar.

Aquele placar não era suficiente para tirar o Palmeiras da Sul-Americana, mas a equipe não quis esperar o segundo gol do Botafogo para se lançar ao ataque. Assim, aos 40, Obina obrigou Jefferson a fazer uma boa defesa após dar uma bonita bicicleta.

Dois minutos depois, Patrik tocou para Barcos. De costas para o gol, ele fez o pivô e mostrou que não é somente artilheiro e também joga para a equipe quando necessário. O argentino devolveu para Patrik, que bateu cruzado para empatar.

No segundo tempo, o Botafogo voltou melhor e o Palmeiras não conseguiu segurar o empate por muito tempo. Aos 11 minutos, Renato recebeu passe de Seedorf e sobrou sozinho de frente para o gol para fazer o segundo do Alvinegro após rara falha da defesa do Palmeiras.

A situação piorou aos 27, quando Lucas cruzou e encontrou o uruguaio Lodeiro sozinho no meio da área. Era o terceiro gol do Botafogo e o início do desespero dos palmeirenses, que só terminou com o apito final.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.