Palmeiras sobe graças a Assunção

Time de Felipão garante a liderança provisória do Estadual com a vitória no sufoco diante do XV de Piracicaba; volante teve participação decisiva

DANIEL AKSTEIN BATISTA, O Estado de S.Paulo

09 de fevereiro de 2012 | 03h05

O Palmeiras pode não jogar bonito, passar por alguns sufocos, mas tem feito aquilo que mais precisa e, ontem, com a vitória por 3 a 2 sobre o XV de Piracicaba, no Pacaembu, chegou aos 14 pontos e assumiu a primeira colocação no Paulista. Graças, mais uma vez ao calibre certeiro de Marcos Assunção.

Esse foi o terceiro triunfo consecutivo do Alviverde, que antes já havia batido Santos e Mogi Mirim, e hoje fica na torcida contra São Paulo e Paulista para terminar a rodada na liderança.

Apesar de o time estar em boa fase - já são seis jogos de invencibilidade no Estadual -, a torcida decepcionou ontem e apenas 7 mil pessoas foram ao estádio. Tudo bem que o Palmeiras não empolgou e deu alguns sustos, mas tem cumprido bem os pedidos de Luiz Felipe Scolari.

Como prometido, Felipão mudou a equipe. Deu descanso para os laterais Cicinho e Juninho, o zagueiro Leandro Amaro e o atacante Luan, mas a tão esperada estreia de Barcos só veio aos 15 do segundo tempo. Já o paraguaio Román não saiu do banco.

Com Maikon Leite desde o início do jogo, o Palmeiras apostava na velocidade do atacante, que até tentou suas arrancadas. Mas foi num lindo lance de Daniel Carvalho que o gol saiu: o meia, substituto do lesionado Valdivia, levou pela esquerda e chutou cruzado aos 15 minutos.

O primeiro tempo foi morno, mas poderia ter sido mais tranquilo para o Palmeiras se o goleiro Deola estivesse bem posicionado na falta cobrada por Ricardinho, que conseguiu o empate, aos 31. O XV ainda teve chances com Hugo e André Cunha.

Mas foi só a segunda etapa começar para Marcos Assunção fazer aquilo que ele mais sabe: gol de falta, logo aos 2 minutos.

Aos 15, a torcida explodiu no Pacaembu ao ver a movimentação de Barcos, que estreou na vaga de Fernandão. O argentino, porém, não foi tão bem.

O problema do Palmeiras ontem foi mesmo sua defesa. Deu espaços para o XV trabalhar a bola e, em mais uma subida do adversário, a zaga falhou e Maurício Ramos jogou contra, aos 26.

Dois minutos depois, a decepção transformou-se em alegria em mais uma jogada que começou com Assunção: bola alçada na área e gol do estreante Artur. E aí Felipão trancou tudo e garantiu a vitória.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.