Palmeiras tem novo presidente: Belluzzo

Economista vence por 22 votos e mantém a situação no poder

Daniel Akstein Batista, O Estadao de S.Paulo

27 de janeiro de 2009 | 00h00

O economista Luiz Gonzaga Belluzzo, de 66 anos, é o novo presidente do Palmeiras. Diretor de planejamento do último mandato de Affonso Della Monica, ele comandará o clube pelos próximos dois anos após vitória nas urnas, ontem, sobre o oposicionista Roberto Frizzo por 145 a 123 - foram computados 6 votos em branco.A candidatura de Belluzzo por pouco não ocorreu e ele só aceitou concorrer ao cargo para não deixar a situação, que mostrava estar rachada, enfraquecida. Conquistou votos importantes e, graças principalmente ao bom papel que cumpriu nos últimos meses, conseguiu o apoio da maioria dos conselheiros e decepcionou a turma da oposição, que via em Roberto Frizzo uma boa oportunidade de voltar ao poder.Belluzzo foi o principal responsável pela parceria com a empresa de marketing esportivo Traffic e com a WTorre, contratada para a construção da Arena Palestra. Nos anos 1990, foi ele também quem intermediou o bem-sucedido casamento com a multinacional italiana Parmalat.O agora mandatário palmeirense já avisou que não vai tentar a reeleição. Entre os projetos de seu mandato, pretende realizar uma reforma estatutária - não concorda, por exemplo, que a eleição para presidente ocorra depois da montagem do time, no começo do ano. Quer mudar a realização do pleito para dezembro.Belluzzo, um importante conselheiro do governo Lula no campo econômico, ressaltou durante toda a campanha a fidelidade ao Palmeiras. Mesmo que seja chamado para um cargo de peso - seu nome foi cotado até mesmo para o Banco Central -, diz que não deixará o comando palmeirense. "Assumi um compromisso, se fizer isso, podem me levar para um hospício." SEM BRIGAS INTERNASO clima, ontem, no Palestra Itália, foi de tranquilidade. O novo presidente palmeirense fez questão de deixar a sala de votação abraçado ao rival Frizzo, dizendo que o clube não pode viver mais rachado politicamente. "Vamos acabar com os ressentimentos, o clube precisa estar unido." Ele cogitou, até, oferecer um cargo a Frizzo, que não recusou a ideia. "Estou sempre pronto para colaborar com o Palmeiras", comentou o oposicionista, conformado.A situação também saiu vencedora na disputa para a vice-presidência. Três vices são do grupo de Belluzzo: Salvador Hugo Palaia, Clemente Pereira e Gilberto Cipullo. A oposição será representada por Edvaldo Frasson.Além de pôr as finanças em ordem, o economista tem como principal objetivo montar um time competitivo, que possa lutar por grandes títulos. A prioridade em 2009 é a disputa da Taça Libertadores da América.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.