Palmeiras testa seus nervos no Rio

Contra o Vasco, elenco tenta mostrar que não se abateu com atrasos de pagamento e problemas da semana

Amanda Romanelli, O Estadao de S.Paulo

28 de outubro de 2007 | 00h00

O Palmeiras entra em campo contra o Vasco, hoje, no Rio, para duas missões. A primeira: manter a vice-liderança isolada do Campeonato Brasileiro, conquistada na última rodada. A segunda: mostrar que toda a polêmica envolvendo a contratação de Thiago Neves e os problemas com salários atrasados não vão interferir no desempenho da equipe. a href=''''http://www.estadao.com.br/esportes/'''' target=_blank>Acesse e acompanhe online a partida, a partir das 18h10''''O ambiente é o melhor possível'''', garante o técnico Caio Júnior, que disse não ter participado das negociações com o meia do Fluminense, mantendo-se totalmente à parte do assunto. ''''Além disso, nunca houve insatisfação pelo atraso nos pagamentos. A resposta para qualquer questionamento está em campo. Estamos na segunda colocação do campeonato.''''O meia Valdivia, capitão da equipe, mantém o discurso de otimismo e comprometimento. ''''Seria fácil dizer que a gente ficou chateado com essa situação. Mas nada disso aconteceu'''', contou o chileno. ''''Os nossos últimos jogos são a maior prova disso. Jogamos, nos matamos, sempre procurando a vitória. No ano passado, nesta mesma época, estamos lutando para sair da zona de rebaixamento. Agora, queremos manter a vice-liderança.''''O técnico Caio Júnior seguiu para o Rio com dúvidas na escalação da equipe. É certo que não terá o volante Pierre, que sentiu dores musculares na coxa esquerda e foi vetado pelo departamento médico. O treinador, no entanto, poderá contar com Martinez. O meia era o capitão da equipe até sofrer uma fratura no nariz, no dia 30 de setembro, e já está recuperado. Durante toda a semana, treinou com uma máscara de proteção.Caio Júnior relatou que ficou um pouco insatisfeito com a marcação do Palmeiras no primeiro tempo da partida contra o Paraná (vitória por 3 a 0, no sábado) e, por isso, pode optar por Martinez no meio, reforçando o setor, junto de Wendel e Makelele. Neste caso, Caio jogaria mais próximo de Rodrigão e Luiz Henrique ficaria na reserva, como opção. ''''O Martinez é importante, um jogador de armação, mas o Luiz Henrique é agudo, está fazendo bem a função . É uma dúvida difícil, que vou ter que resolver.''''O técnico ainda acredita que o Vasco, até pela posição que ocupa na tabela, deve ser muito ofensivo. Caio assistiu à partida dos cariocas contra o América do México, na quarta-feira, e disse que gostou do desempenho do time, então comandado por Romário. ''''Eles criaram muitas chances de gol. Isso me preocupa.''''Já Valdivia acha que o Vasco será ainda mais perigoso neste domingo. ''''Eles estão com um técnico novo, que vai dar toda a confiança para quem jogar.''''JOGOS QUE FALTAM Hoje - Vasco (F)31/10 - Juventude (C)4/11 - Sport (F)11/11 - Fluminense (C)25/11 - Internacional (F)2/12 - Atlético-MG (C)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.