Palmeiras usa 4 volantes para vencer em casa

Sem jogar bem, o time derrotou o Botafogo com dois gols de Leandro e uma boa ajuda do goleiro adversário

DANIEL BATISTA, O Estado de S.Paulo

21 de março de 2013 | 02h02

Apesar da escalação bastante cautelosa - com quatro volantes - e de ter perdido dois titulares machucados durante o jogo, o Palmeiras se impôs e conseguiu vencer o Botafogo por 2 a 0 ontem no Pacaembu. Com o resultado o time chega aos 24 pontos, consegue respirar na luta pela classificação e ganha novo ânimo para o clássico de domingo com o Santos, também no Pacaembu.

Antes de começar a partida o técnico Gilson Kleina causou irritação em boa parte dos torcedores com a surpreendente escalação. Ele montou o time com quatro volantes, e coube a Wesley a função - que ele não gosta de fazer - de ser o armador das jogadas. E como já era de se esperar, o time tinha muitas dificuldades para criar situações de gol. Patrick Vieira, Rondinelly e Tiago Real, que poderiam deixar o time mais solto, ficaram no banco. Por sorte, aos cinco minutos o goleiro Rafael ajudou. Leandro recebeu na frente da área e chutou no meio do gol. O goleiro foi tentar encaixar, mas a bola bateu em seu braço e entrou. Um alívio para o atacante, que fez seu terceiro gol com a camisa verde, e principalmente para o treinador, que conseguiu escapar de uma chuva de críticas que viriam ainda durante a partida se o time não vencesse.

Mesmo retrancado, o Palmeiras dominou o primeiro tempo. Mas não sabia o que fazer com a bola, e a única forma de chegar até a área era apostando nas jogadas pela linha de fundo com Juninho - que se conseguisse acertar os cruzamentos teria consagrado Kleber.

A tranquilidade deu lugar à preocupação quando em dois minutos Henrique e Kleber saíram machucados. Aos 33, o zagueiro sentiu dor na coxa direita e André Luiz, que chegou ao clube dia 8 e pediu no mínimo 15 dias para jogar, teve de ir a campo. E aos 35 foi a vez de Kleber cair sozinho no gramado, sentindo dor no joelho direito. Em seu lugar entrou Caio.

O time sentiu as mudanças e passou a dar espaço para o Botafogo, que chegou a criar boas oportunidades com Nunes -cabeceou para fora - e Zé Antônio, que obrigou Fernando Prass a fazer uma boa defesa.

No intervalo, o clima de desconfiança no Pacaembu era grande. Ninguém sabia que Palmeiras iria entrar em campo. Se era o que foi para cima e abriu o placar nos primeiros minutos ou que terminou a primeira etapa assustado. Foram necessários apenas três minutos para os palmeirenses saberem a resposta. Leandro aproveitou um corte errado de Zé Antônio e marcou com um chute no canto direito.

E com a vantagem de dois gols contra um time que estava à frente na tabela, era de se esperar que um time com tantos volantes resolvesse segurar o resultado sem correr riscos.

Dito e feito. Após os 2 a 0, o jogo praticamente acabou. O Palmeiras adotou um ritmo de treino, não incomodou o Botafogo e não foi incomodado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.