Palmeiras vai blindar Obina contra críticas

Atacante é apresentado no clube com presença do presidente Belluzzo, que se responsabiliza pela contratação do jogador, em jejum de gols

Daniel Akstein Batista, O Estadao de S.Paulo

27 de maio de 2009 | 00h00

Luiz Gonzaga Belluzzo resolveu achar um espaço em sua lotada agenda para apresentar ao torcedor palmeirense o atacante que não marca gol desde 30 de novembro de 2008. Após o primeiro treino com os novos colegas, Obina deu entrevista como jogador do Palmeiras e recebeu a camisa alviverde das mãos do presidente do clube. Participe da enquete: Obina vai ter sucesso no Palmeiras?Dificilmente Belluzzo aparece em alguma apresentação de reforços. O trabalho de dar as boas-vindas normalmente é de responsabilidade do vice, Gilberto Cipullo, ou de Toninho Cecílio, gerente de futebol. Ontem, o presidente preferiu estar pessoalmente com Obina. A chegada do ex-jogador do Flamengo causou enorme repercussão no Palestra Itália - mais negativa do que positiva."Fiz questão de vir aqui (na Academia) porque há toda essa controvérsia", explicou Belluzzo. "Ele está num período infeliz, mas sempre tive uma boa impressão dele", declarou. "Assumo a total responsabilidade pela sua contratação. Podem reclamar de mim. Tenho 66 anos e estou pra lá de Bagdá (de tanto lidar com críticas). Só não podem reclamar dele. O espírito é o de proteger o jogador."As atenções no treino de ontem estavam, obviamente, voltadas para Obina. O treinador Vanderlei Luxemburgo preparava o time para o jogo de amanhã, com o Nacional, o primeiro das quartas de final da Libertadores. Na equipe reserva, o ex-flamenguista pouco trabalhou.O preparador físico Antônio Mello vai fazer uma programação específica para Obina, um pouco acima do peso. "Vou conversar com ele (Mello). Se achar que preciso perder peso, vou perder", disse o jogador.O atacante de 26 anos já estará à disposição de Luxemburgo para a partida de amanhã. E sonha acabar logo com a falta de gols. "Agora é vida nova. As pessoas sabem do meu caráter e da minha determinação, e isso não vai faltar", garantiu.Com o apoio do presidente e o desejo de conquistar a torcida, Obina espera que os gritos que ganhou dos flamenguistas ("Ôôô, Obina é melhor do que o Eto?o) possam ecoar por novos ares. "Já dei a volta por cima outras vezes e tenho certeza de que vou dar de novo", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.