Palmeiras vai brigar por Thiago

Clube ameaça ir à Justiça para contar com o meia do Fluminense. Ou para ser indenizado

Amanda Romanelli, O Estadao de S.Paulo

27 de outubro de 2007 | 00h00

O Palmeiras acena com uma batalha judicial para contar com o meia Thiago Neves, hoje no Fluminense. De acordo com a diretoria alviverde, o clube não abrirá mão de contar com o jogador, com quem assinou um pré-contrato em agosto e adiantou a quantia de R$ 400 mil. Na pior das hipóteses, quer ao menos receber o valor estipulado na multa contratual: R$ 2,4 milhões."Nós esperamos que ele seja jogador do Palmeiras, de acordo com o pré-contrato que assinou conosco", afirmou o vice-presidente de Futebol, Gilberto Cipullo, em entrevista à Rádio Jovem Pan. "Provavelmente o assunto será decidido na Justiça, já que o Fluminense também deve brigar por ele. Mas entendemos que, pelo documento assinado, temos a preferência."O dirigente negou que, em algum momento, o clube tenha infringido normas éticas ou jurídicas. E revelou que Thiago Neves pareceu muito feliz em acertar sua transferência para o Palmeiras, clube com o qual teria "vínculos afetivos". "Ele não foi forçado a assinar o contrato. Fez isso espontaneamente e de próprio punho."Ontem, o jogador veio a público e, constrangido, admitiu ter assinado dois contratos. E, ao contrário do que pareceu a Cipullo, mostrou-se interessado em permanecer no Fluminense. "Estou muito arrependido do que fiz. Assinei o contrato porque confiava na pessoa que estava ao meu lado (o ex-procurador Luiz Alberto)." Segundo Neves, o empresário Léo Rabello, que detém a maior parte dos seus direitos federativos, está tentando resolver o impasse em conjunto com a diretoria tricolor. O presidente Roberto Horcades já teria, até mesmo, conversado com o colega Affonso Della Monica, em busca de uma solução.Enquanto isso, o técnico Caio Júnior não viu erros de comportamento no comando do Palmeiras, que chegou a emitir uma nota oficial dizendo que não negociava com o jogador. "A diretoria trabalhava sigilosamente, como fazem todos os clubes. Essa é a época de fazer pré-contratos, isso é natural. Já perdemos jogadores porque informações vazaram antes." Caio, porém, não poupou críticas à atitude de Thiago Neves. "Houve uma irresponsabilidade muito grande do jogador, que assinou contrato com dois clubes diferentes. Isso vai sair caro, para ele ou para alguém." O treinador procurou desvincular os problemas com salários atrasados do assunto Thiago Neves. "Nunca houve insatisfação dos jogadores. Convivemos com atrasos nos últimos meses e a melhor resposta está no campo. Fizemos nove jogos e perdemos apenas um." Para ele, o assunto veio à tona porque coincidiu com a polêmica sobre o meia. "E eu acho um absurdo, porque o valor pago a ele passa longe do que é a nossa folha de pagamento."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.