Palmeiras vê desgaste do técnico com torcida

Luxemburgo critica comportamento no Palestra. Jogadores discordam

Daniel Akstein Batista, O Estadao de S.Paulo

30 de maio de 2009 | 00h00

A relação entre Vanderlei Luxemburgo e torcida se complica a cada dia. Anteontem, após o empate por 1 a 1 com o Nacional, pela Taça Libertadores, boa parte dos palmeirenses que foram ao Palestra Itália vaiou o treinador. Ele, na entrevista coletiva em seguida ao jogo, rebateu as broncas e reclamou da falta de apoio. A rixa é antiga.Antes, Luxemburgo reclamava da "turma do amendoim", a que fica posicionada atrás do banco de reservas, e de parte da Mancha Alviverde. Ontem, não direcionou a bronca a ninguém especificamente. Preferiu queixar-se de todos. "A gente aqui mata um leão por dia e corre de dois, três, quatro...", disse. "Nos outros estádios a torcida apoia o time, mas aqui é diferente."O comportamento da torcida causou reações diversas no elenco. Enquanto Luxemburgo disparou críticas, Marcos avisou que os torcedores "refletem o que o time apresenta em campo." Pierre segue a mesma linha do goleiro e isenta os palmeirenses da culpa. "O torcedor sempre nos apoia e um pouco de impaciência é normal."Para conquistar a vaga nas semifinais da Libertadores, o Palmeiras agora vai ter de conseguir um bom resultado no Uruguai, dia 17. Jogar fora de casa, entretanto, não tem sido mal negócio para o time. "A gente joga melhor fora, porque o time deles vem para cima e dá espaços", explicou Marcos.Na fase de grupos, a equipe deu a volta por cima nos jogos longe do Palestra Itália. Contra o Sport, na Ilha do Retiro, a vitória foi por 2 a 0. Na última partida, só o triunfo daria a classificação, e ela veio no Chile, nos minutos finais contra o Colo Colo: 1 a 0, golaço de Cleiton Xavier."Já nos tiraram da competição antes mesmo de ela terminar", disse Luxemburgo, lembrando que muitos duvidavam da força do Palmeiras. "Entramos num grupo muito difícil, e conseguimos passar. Contra o Colo Colo, nós acreditávamos e fomos para lá ligados. Contra o Nacional vai ser a mesma coisa", declarou Diego Souza.Nas oitavas de final, a vaga na etapa seguinte foi conquistada novamente longe do Palestra. Após derrota por 1 a 0 para o Sport no tempo normal, a decisão foi para os pênaltis. Marcos, com três defesas, garantiu a passagem às quartas. Agora, a emoção será no Uruguai.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.