Palmeiras vive a hora da afirmação

Time de Felipão, com quatro desfalques de última hora e sem Henrique (suspenso), encara Atlético-GO

DANIEL BATISTA, O Estado de S.Paulo

19 de agosto de 2012 | 03h07

Com a água batendo no pescoço na luta para deixar a parte de baixo da tabela, o Palmeiras, desfigurado com pelo menos cinco desfalques, encara o Atlético-GO, às 18h30, no Serra Dourada, com a preocupação de parar um time que adora complicar a vida dos paulistas.

Felipão tinha a expectativa de armar uma forte marcação para não dar espaços ao Atlético, uma equipe acostumada a jogar em velocidade. Mas, no último ensaio, ontem, o treinador perdeu quatro jogadores de uma só tacada. O lateral Artur e o volante Márcio Araújo (com dores musculares), Marcos Assunção (tendinite no joelho direito) e ainda o meia Fernandinho (dores no joelho esquerdo) foram vetados - sem contar Henrique, suspenso com o terceiro amarelo.

Dos quatro 'baleados', o caso mais sério é o de Assunção - os médicos do clube devem avaliar amanhã se o jogador vai passar ou não por uma artroscopia.

Com tantos desfalques, Felipão vai ser obrigado a improvisar. Na lateral direita, deve escalar o jovem zagueiro Luiz Gustavo. Na proteção da defesa, é bem provável que recorra a João Vitor, perdoado pelo ato de indisciplina, e Correa, apresentado na sexta-feira como novo reforço do time. Outra alternativa seria escalar o jovem João Denoni ao lado de João Vitor, com Correa sentado no banco.

O treinador também tem outra dor de cabeça. Maikon Leite e Daniel Carvalho, na avaliação da comissão técnica, estariam fazendo corpo mole. Os dirigentes já foram informados sobre o descaso da dupla.

Algoz de paulistas. Não bastasse tudo isso, Felipão ainda tem de encontrar um meio de frear o Atlético. Os goianos estão na penúltima colocação, mas quando enfrentam equipes de São Paulo mostram a força de quem briga pelo título. O time de Goiás venceu (4 a 3) o São Paulo e empatou (1 a 1) com a Ponte como mandante. Fora de casa, empatou com Santos (2 a 2) e Corinthians (2 a 2) e só a Portuguesa, no Canindé, venceu (2 a 0) os goianos.

Dos 12 pontos conquistados pelo Dragão na competição, a metade foi em jogos contra paulistas. "Temos que ficar atentos a isso. O recado foi dado aos nossos rivais e eles não conseguiram. Temos de fazer bem o nosso serviço porque, para eles, será o jogo da vida", disse o zagueiro Maurício Ramos, que ainda fez questão de enaltecer o bom momento que vive o setor defensivo do Palmeiras.

Além da defesa, outro ponto que anima os torcedores é Valdivia. O chileno foi um dos destaques contra o Flamengo e ao final do jogo desabafou contra os críticos que o acusam de não se dedicar ao Palmeiras. Seus dribles e lançamentos fizeram com que a equipe voltasse a ter velocidade na criação das jogadas inexistentes no período em que ele esteve fora, machucado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.