Alex Silva/AE
Alex Silva/AE

Palmeiras volta para a briga do Brasileiro

Apesar da sofrida vitória sobre o Ceará, jogadores pedem apoio dos torcedores

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

23 de setembro de 2011 | 03h06

SÃO PAULO - A vitória sem brilho e com raça fez os jogadores do Palmeiras voltarem a sonhar. O discurso após o 1 a 0 sobre o Ceará novamente é de briga pelo título do Campeonato Brasileiro. Para o atacante Luan, que participou da jogada do gol, o time tem todas as condições de jogar de igual para igual com as outras equipes, mas sem dar espetáculo, como aconteceu nesta quinta-feira no Canindé.

"Todo mundo viu como sofremos para vencer este jogo. Mas o Palmeiras é isso aí mesmo. Vamos lutar até o fim pelo título", disse o atacante que, apesar da vitória, saiu reclamando. "Eu queria que o juiz desse gol para mim. Eu que mandei para o gol, a bola só desviou no zagueiro", cobrou.

Kleber brincou com a situação de vencer o jogo com um gol contra. "A fase está tão ruim que até para vencer tem de ser com gol contra do zagueiro. E o Maikon Leite faz aquela jogada e o cara salva em cima da linha."

Mais sério, o Gladiador fez um pedido para a torcida. "É hora de apoiar o Palmeiras. Não estamos tão longe da parte de cima, pelo contrário. Pegar no pé agora é ruim para todo mundo", suplicou. Apesar do jejum de 13 jogos no Brasileiro sem marcar gol, Kleber foi aplaudido na saída do gramado.

Para o goleiro Deola, o Palmeiras teve a mesma postura dos últimos jogos. A diferença foi que desta vez conseguiu vencer e a sorte apareceu. "Temos lutado todos os jogos como lutamos hoje (quinta). A diferença é que finalmente a sorte esteve do nosso lado."

BRIGA POR FELIPÃO

Durante o jogo, uma turma de torcedores se concentrou atrás do banco de reservas onde estava Luiz Felipe Scolari e começou a xingar o treinador. A maioria dos palmeirenses em volta se revoltou e a polícia teve de tirar torcedores irritados para evitar maior confusão. Os que ficaram para ver o jogo, passaram então a gritar o nome do treinador

Valdivia, convocado pela seleção chilena, não vai jogar o clássico com o Santos, dia 9, e diante do Flamengo, dia 12.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.