Mike Ehrmann/Getty Images/AFP
Mike Ehrmann/Getty Images/AFP

Pâmela Rosa faz dobradinha com Rayssa Leal e conquista bi mundial de skate street

Campeã da última edição em 2019, Pâmela faz final de semana incrível e vence Super Crown em Jacksonville

Redação, Estadão Conteúdo

14 de novembro de 2021 | 15h45

Com a confiança recuperada depois de muito tempo sofrendo com uma lesão no tornozelo esquerdo, Pâmela Rosa mostrou segurança na tarde deste domingo, em Jacksonville, na Flórida, e garantiu o bicampeonato mundial de skate street ao vencer a final da Super Crown, última etapa da Street League Skateboarding (SLS). Logos atrás dela, Rayssa Leal ficou com o vice, seguida pela japonesa Momiji Nishiya.

Presente em todas as finais desde que começou a disputar o circuito, Pâmela entrou na pista defendendo o título, já que foi campeã em 2019. No ano seguinte, o torneio não foi realizado em razão da pandemia de covid-19. Já Rayssa, vencedora das duas etapas anteriores, esperava bater um novo recorde e se tornar a mais jovem campeã da SLS, mas não conseguiu. Assim, a marca segue com Nyjah Houston, campeão com 15 anos em 2010.

Apesar de não ter alcançado o objetivo, a menina de apenas 13 anos teve uma grande apresentação, assim como a grande campeã. Ambas, no entanto, encontraram dificuldades no começo. Na volta de 1min45s antes  das rodadas de manobras únicas, Pamela chegou a cair, mas compensou com boas manobras e somou 4.6 pontos. Já Rayssa caiu e até saiu da pista, em uma volta bastante empolgada, que, apesar de conter boas manobras, rendeu apenas 3.8 em razão dos erros. 

As duas conseguiram se recuperar na apresentação de manobras. Rayssa foi muito consistente e somou 6.0, 6.9 e 6.3 em suas melhores voltas, avançando ao final four, etapa em que as quatro melhores fazem mais duas exibições para decidir o título. Pâmela também passou, em quarto lugar, ao somar 6.0, 6.9 e 6.3.

Quem terminou a primeira parte mais animada, contudo, foi a japonesa Momiji Nishiya, que fez 8.0, a maior nota do dia até aquele momento, na última volta, mas pontuou menos que Rayssa na soma das outras duas notas e ficou em segundo, acima de Samarria Brevard, que fechou a classificação.

Pâmela abriu o final four somando 7.7, antes de Brevard e Nishiya não completarem suas manobras, assim como Rayssa, na sequência. Confiante após a excelente nota, a brasileira  correu até o meio da pista e passou vela no corrimão antes de partir para a rodada final. Na hora da decisão, encaixou um frontside smith que a deu 8.1 pontos e garantiu o bicampeonato, já que nenhuma das oponentes consegue alcançar seu 21.8 pontos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.